Scania P310 – Na rota da tendência

Scania P310 8x4 (2)

Em 2012, o segmento de semipesados brasileiro obteve um feito histórico. Ultrapassou os pesados, tradicionais líderes de vendas e responsáveis por 32% das comercializações, ao emplacar 35% dos caminhões novos do Brasil. A Scania contribui com essa tendência há dois anos, desde que lançou seu primeiro semipesado, o P270 com motor de 8,9 litros e 270 hp – 273 cv. Só que, por causa das incertezas do mercado brasileiro pela adequação à legislação de emissões Euro 5/Proconve P7, ocorridas na virada de 2011 para 2012, a linha de semipesados da marca nunca tinha de fato embalado nas vendas. Mas o atual líder de vendas da Scania no segmento semipesado, o P310, dá sinais de que começa a acelerar. Nos primeiros quatro meses de 2012, o caminhão teve 191 unidades vendidas. No mesmo período deste ano, já foram 369 emplacamentos – um significativo aumento de 93%.

O P310, por sinal, é responsável por 63% das vendas de semipesados da empresa sueca por aqui e ajudou a Scania a ganhar “market share”. Há dois anos, a marca ficava na sexta posição do ranking geral de fabricantes de caminhões no Brasil. Hoje, já ocupa a quarta colocação e “cresce no espelho” da Ford, a terceira mais vendida.

Para estimular as vendas de seus semipesados, a Scania apostou em fazer aquilo que já sabe. Ou seja, introduziu algumas características de modelos pesados – sua especialidade – nos “novatos” da marca. Itens como o câmbio automatizado, suspensão pneumática, cabine leito e até balança digital, que mostra o peso em cada eixo, geralmente são encontrados apenas em caminhões maiores e com aplicações em longas distâncias. Outros itens de conforto, no entanto, ficam de fora da lista de equipamentos de série. Caso dos vidros e retrovisores com comando elétrico, ar-condicionado, rádio com controle no volante e amortecimentos individuais dos bancos.

Hoje, a linha de semipesados da Scania é toda equipada com o motor Euro 5 de 9,3 litros com cinco cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e injeção direta de combustível. O propulsor adota a tecnologia SCR – com adição de Arla 32 no catalizador – para atingir os níveis de emissões prescritos no Proconve P7. No P310, a potência é de 310 hp, ou 314 cv, a 1.900 rpm e o torque é de 158 kgfm entre 1.100 e 1.350 rotações. O P310 pode vir nas configurações 6X2 e 8X2. Ainda há uma versão mais comedida, com 250 hp, e que pode receber também a variação de chassi 4X2.

Primeiras impressões – Scania P310 8X2

Scania P310 8x4 (5)O caminhão semipesado P310 na configuração 8X2 foi avaliado na pista de testes da fábrica da Scania em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. A cabine da linha P é a menor da Scania: mede 3,07 metros de altura e 2,5 m de largura. O cavalo-mecânico 8X2 tem 11,35 m de comprimento total e pesa 9.129 kg. O PBTC– Peso Bruto Total Combinado – do modelo pode atingir as 45 toneladas, mas o teste foi realizado apenas com o caminhão, sem carga. O conjunto é movido por um propulsor de 9,3 litros, que oferece 314 cv e 158 kgfm.

Depois de subir a escadinha que dá acesso ao habitáculo, é hora de achar a melhor posição para dirigir. Nada muito complexo – bancos e volante se movimentam de forma precisa para os eventuais ajustes. Depois de instalado, basta ao motorista soltar o freio de mão, que fica em uma alavanca pneumática à direito do volante, e acionar a manopla do câmbio automatizado Opticruise – que dispensa pedal de embreagem. É possível sair da inércia utilizando a posição A, de automático, ou M, de manual.

Quando o caminhão começa a se mover, chama a atenção o baixo nível de ruído. Logo, é possível perceber que o conforto proporcionado pela suspensão do banco do motorista supera muitos sedãs disponíveis no mercado nacional. Vai longe o tempo em que a cabine de um caminhão era um lugar hostil para se trabalhar. Com o veículo em movimento, o sistema automatizado de trocas de marchas se encarrega de manter o motor na cadência correta. E, com o Opticruise, a troca das marchas também pode ser induzida manualmente, sempre que o motorista desejar.

Seja em aclives ou declives, em retas ou em curvas, o motor de 9,3 litros parece oferecer torque e potência na medida certa da demanda do P310. O cavalo-mecânico se move de forma lépida, a direção é suave e os comandos respondem facilmente. Na hora de parar, é bom lembrar que o freio é ligeiramente sobreassistido – o que recomenda pisar no pedal de forma mais gradual do que se faria para parar um automóvel. O comportamento do P310 é tão amistoso que até permite esquecer por alguns instantes que se está ao comando de um caminhão.

Fonte: Salão do Carro




Um comentário em “Scania P310 – Na rota da tendência

  • 24/09/2013 em 20:49
    Permalink

    E otimo caminhao muito confortavel e de perfeito desempenho nas estradas.

Fechado para comentários.