Caminhoneiros recebem informações sobre condução sustentável

caminhoneiro - jornada de trabalho

Já pensou na quantidade de litros de combustível que seriam poupados, por ano, caso as vias do país fossem bem conservadas? Uma pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Transporte – CNT, classifica 45,9% dos pavimentos das rodovias brasileiras como regular, ruim ou péssimo. Se o pavimento fosse classificado entre bom ou ótimo, o consumo de óleo diesel poderia ser até 5% menor do que o atual. Ainda de acordo com dados do “Relatório Síntese de Informações Ambientais”, desenvolvido pelo Programa Ambiental do Transporte, nomeado Despoluir, da Confederação Nacional do Transporte, se a infraestrutura fosse melhorada, isso geraria uma economia de combustível de cerca de 616 milhões de litros, o que representa R$ 1,29 bilhão por ano.

Mas a economia de combustível não está relacionada, apenas, com a infraestrutura das rodovias. A condução sustentável é uma alternativa eficaz de trazer resultados positivos para o bolso e reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Este é um dos temas da segunda edição da Festa do Caminhoneiro, que acontece dia 30 de junho, das 10h às 17h, no Grupo Décio Posto Parada Bonita. O assunto será abordado pelos instrutores do Serviço Social do Transporte (Sest) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), entidade parceira do evento.

LEIA MAIS  Transgires abre vagas para motoristas carreteiros rodotrem em Santa Catarina

Trabalho de conscientização

Segundo o instrutor do Sest Senat Uberlândia, Vanilson de Sousa, a parceira com o evento foi firmada com o objetivo de conscientizar os caminhoneiros através de um aprendizado saudável e proativo. “Em meus anos como instrutor, todos os caminhoneiros que receberam aulas sobre direção defensiva, condução sustentável, entre outros temas oferecidos pelo Sest Senat, foram abertos ao aprendizado e participaram compartilhando conhecimentos adquiridos nas estradas. O caminhoneiro autônomo não tem a mesma facilidade que o caminhoneiro empregado de frota, o que dificulta a conscientização desses profissionais. Em muitos casos, o autônomo não tem tempo de parar o caminhão para manutenção periódica do veículo ou dedicar-se a aulas de reciclagem. De modo geral, embora alguns caminhoneiros tenham entre 15 e 20 anos de experiência, eles demonstram interesse em participar das aulas e saem satisfeito, o que torna nosso trabalho mais gratificante, pois estamos contribuindo com a segurança nas rodovias”, afirma o instrutor.

LEIA MAIS  Rodomax abre vagas para motoristas carreteiros em Cascavel-PR

Fonte: Divulgação