IPEM-SP autua 38% dos veículos fiscalizados durante operação de tacógrafos na Rodovia dos Imigrantes

tacografo_620x465

O IPEM-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo) realizou nesta quinta-feira, 22/8, uma operação de fiscalização de tacógrafos no km 56 da Rodovia dos Imigrantes, em Cubatão, onde 21 (38%) dos 55 caminhões parados pelas nossas equipes foram autuados por irregularidades no equipamento.

O tacógrafo é a “caixa preta” dos veículos com mais de 4.536 kg, como caminhões, ônibus ou qualquer transporte com capacidade para mais de 10 passageiros. Por isso, é fundamental para a segurança nas estradas.

A ação teve o apoio da Polícia Militar Rodoviária.

Em todo o Estado de São Paulo, somente no ano passado, dos 6.394 tacógrafos fiscalizados nas principais rodovias, 1.729 (27,04%) estavam irregulares, tendência que tem se repetido nas fiscalizações de 2013.

Os proprietários dos caminhões ou empresas que não possuírem o certificado de verificação válido são autuados e têm dez dias para apresentar defesa ao IPEM-SP, que definirá multa que varia de R$ 768 a R$ 5 mil, dobrando na reincidência.

Equipamento

De acordo com normas do Inmetro, o tacógrafo é obrigatório em veículos que transportam mais de 4.536 kg ou mais de 10 passageiros (caminhões de carga em geral, de produtos perigosos, coletivos de passageiros e escolares).

LEIA MAIS  Projeto de lei estabelece o uso de chips para fiscalização de veículos

O instrumento é considerado uma “caixa preta”, pois registra informações do percurso, tais como respeito aos limites de velocidade, distância percorrida e tempo de direção sem paradas. Por isso, todo veículo deve trafegar com o certificado de verificação emitido pelo IPEM-SP em dia. O documento é válido por dois anos e precisa ser renovado a cada manutenção do equipamento.

O tacógrafo contém um disco diagrama de papel ou fita que deve ser trocado a cada 24 horas ou a cada sete dias, e que guarda os dados de distância percorrida pelo veículo, limites de velocidade e tempo de direção.

Para obter o certificado de verificação do cronotacógrafo, o proprietário do veículo deve lacrar o equipamento em uma oficina autorizada pelo fabricante e credenciada pelo Inmetro. Em seguida deve passar por ensaios em um posto autorizado pelo órgão federal que analisa se o instrumento atende aos requisitos do regulamento.

O posto, em seguida, envia ao IPEM-SP um relatório sobre essa análise com os discos do tacógrafo para que sejam feitos ensaios metrológicos. No caso de aprovação, o certificado de verificação é emitido e tem validade por dois anos em todo o território nacional.

LEIA MAIS  Projeto de lei estabelece o uso de chips para fiscalização de veículos

A relação de oficinas e postos credenciados está no site do IPEM-SP.

IPEM-SP

O IPEM-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo e órgão delegado do Inmetro.

Com uma equipe de fiscalização formada por mais de 300 especialistas e técnicos, realiza em todo o Estado de São Paulo operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, preservativos, cadeiras de carros para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros.

É seu papel também garantir que o consumidor leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou.

O consumidor que desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria do IPEM-SP pelo telefone 0800-013-0522, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: ouvidoria@ipem.sp.gov.br.

Fonte: IPEM