Caminhões Shacman foram testados por mais de 400 motoristas

shacmanfenatran




A Metro-Shacman registrou mais de 400 testes de seus caminhões Shacman TT 420 6×4, realizados na pista montada no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, entre os dias 28 de outubro e 1º. de novembro, durante a Fenatran 2013. Os veículos foram conduzidos por motoristas profissionais do transporte de cargas cujas avaliações serão analisadas pelo departamento de engenharia da empresa para possível implementação no projeto de localização dos caminhões que serão produzidos no Brasil a partir do próximo ano.

O diretor de desenvolvimento da empresa, Marcos Gonzalez, informou que a participação da Metro-Shacman na Fenatran, como única marca chinesa no evento, permitiu uma forte exposição da marca e a oportunidade de demonstrar os atributos dos produtos aos motoristas profissionais. “A Fenatran 2013 tem uma importância histórica, porque permitiu a apresentação do veículo-conceito da Shacman equipado com sistemas e componentes fabricados por empresas fornecedoras do Brasil com índice de nacionalização superior a 60%”, afirmou.

O executivo também considerou positiva a nova etapa da empresa no Brasil com o relacionamento estabelecido com representantes de transportadoras, fornecedores de autopeças, instituições de crédito e empresários interessados em integrar a rede de concessionárias. Gonzalez ressaltou também o grande número de executivos de marcas concorrentes que visitaram o estande da Metro-Shacman para conhecer em detalhes os veículos expostos, especialmente o driveline completo e o primeiro protótipo brasileiro.

Para Gonzalez, além da credibilidade da marca, os motoristas profissionais que testaram os veículos demonstraram entusiasmo pelo desempenho e pelo padrão de conforto e nível de equipamentos disponíveis. Um dos aspectos de maior aprovação foi o da relação custo-benefício, na comparação com o preço de venda e as características de desempenho, economia e durabilidade dos veículos.

Gonzalez acrescentou que os próximos passos da Metro-Shacman em relação à produção dos veículos no Brasil serão o programa de certificação dos componentes nacionalizados, a escolha dos fornecedores, a sequência da nomeação de concessionárias e os trâmites relativos à escolha dos equipamentos e instalação da linha de montagem para que a produção ocorra no segundo semestre do próximo ano.

Fonte: Shacman




5 comentários em “Caminhões Shacman foram testados por mais de 400 motoristas

  • 13/05/2014 em 10:00
    Permalink

    Parabens a schacman que entra no mercado brasileiro em boa hora, seus concorrentes ja demostraram excelencia em decadas de operação no brasil.entretanto os valores de aquisição destes são fora da realidade considerando o retorno que o mercado de cargas opera. seriedade com o operador de transporte brasileiro é essencial neste momento, um equipamento que tem seu uso normal sob uma carga de 40,50 toneladas sendo utilizado por jornadas de trabalho de 12,14,16 ou mais horas em estradas mau construidas e mau mantidas, não pode ser avaliado em uma voltinha no quarteirão com um cavalo. Acredito na schacman, espero que coloquem seu produto sob testes em condições reais e com avaliadores idoneos,e experientes.

  • 14/11/2013 em 16:18
    Permalink

    cabina do fiat 190 com o teto do iveco antigo, quem compra um caminhao desses daqui a dois anos ele nao vale nem cem mil, e´ igual a o sino truque que de graça sai caro.

  • 14/11/2013 em 15:14
    Permalink

    É VERGONHOSA a forma como a International caminhões se comporta depois que vende um produto com defeito, será que agem da mesma forma com os americanos? EU DUVIDO!! Deveriam criar VERGONHA NA CARA. Estão aqui só por causa da mão de obra barata! Se não gostam do mercado e ou do consumidor BRASILEIRO, deveriam ir embora, em vez de ficarem aqui nos enganando, vendendo o que não presta e nos dando PREJUÍZOS!!!

  • 12/11/2013 em 08:38
    Permalink

    Teste em pista é uma coisa, já em nossas estradas é bem outra. Larguem 200 destes veículos nas mãos de motoristas profissionais, para rodar no mínimo durante 2 anos.Para efetuar o transporte de cargas reais e nas mais diversas condições. E ai poderemos ter de fato uma avaliação sem vícios e interesses . Sinceramente estes importados vão dar o que falar…

Fechado para comentários.