Caminhoneiros podem ter mais chances de desenvolver câncer de próstata

caminhao estados unidos




Um estudo realizado na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, mostra que pessoas que passam muito tempo dirigindo podem ter mais chances de ter câncer de próstata. A pesquisa que trouxe esse resultado analisou dados de 2132 homens. Todos eles faziam parte de um programa de tratamento de câncer de próstata.

Perguntaram para essas pessoas suas ocupações e seus históricos profissionais. Os resultados mostraram que os caminhoneiros, que passam a maior parte de seu tempo dirigindo, apresentavam quatro vezes mais chances de ter tumor na próstata do que aqueles que desempenhavam outras funções.

Isso acontece, segundo os cientistas, por causa da vibração provocada no corpo pelo motor do caminhão. A teoria é de que esse tremor pode resultar na inflamação da glândula da próstata, o que poderia causar a doença.

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. Sua taxa de incidência é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.

Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

Fonte: Portal RN