Montadoras negociam com governo pacote de medidas para estimular setor

Basculante_semirreboque




A Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) negocia com o governo um pacote de medidas de estímulo ao setor. A proposta das montadoras abarca várias frentes.

O pedido inclui a manutenção das alíquotas reduzidas para o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), a renovação das linhas de financiamento do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) em 2014 e a criação de um programa de modernização do setor de máquinas agrícolas e rodoviárias (Inovar-Máquinas).

Apesar das declarações do ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que o IPI voltará a subir em 2014, o presidente da entidade, Luiz Moan, acredita que não haverá recomposição integral das alíquotas. “Estou trabalhando fortemente para que não haja aumento”, disse.

Segundo o cronograma do governo, o IPI subirá em janeiro de 2% para 7%, nos veículos de até 1.000 cilindradas. A alíquota aumenta de 7% para 11% para automóveis flex entre 1000 e 2000 cilindradas e de 8% para 13% para os demais carros nesta categoria. Uma fonte do governo admite a possibilidade de o governo voltar atrás e fazer a recomposição da alíquota de forma mais suave, mas avalia ser difícil não haver nenhuma elevação do imposto em 2014.

“O ministro Guido está cuidando disso. Vamos aguardar o prazo do IPI até o final do ano. E alguma mudança, se houver, será feita no ano que vem, mas não tem nenhuma decisão ainda nessa direção, ou melhor, em nenhuma direção”, afirmou o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Fernando Pimentel.

Fonte: Estadão