Novo túnel de vento testa condições climáticas extremas para os caminhões Scania

Scania - Tunel de Vento (1)




A Scania investiu 40.5 milhões de Euros na construção de avançadas instalações para testes climáticos. Graças ao seu novo túnel de vento, localizado no DemoCentre em Södertälje, na Suécia, a Scania consegue submeter os seus veículos a testes nas mais exigentes condições climáticas, e desse modo o melhorar o desenvolvimento e desempenho dos seus veículos.

A Scania está agora menos dependente dos testes de campo e, utilizando o ambiente controlado do túnel de vento, reduz os prazos entre o desenvolvimento e o lançamento do produto. “Esta instalação única ajuda-nos a melhorar a eficiência do combustível e a reduzir ainda mais as emissões,” afirma Harald Ludanek, Vice- Presidente Executivo e Responsável de Investigação e Desenvolvimento.“Uma vez que podemos reduzir o impacto da neve, da chuva e da sujeira, os motoristas irão se beneficiar de um melhor ambiente na cabine, assim como de uma maior segurança.”

Do frio do ártico ao calor escaldante

Nessas instalações, podem ser simuladas temperaturas de entre -35 e +50ºC, assim como teores de humidade de 5% a 95%. O sistema do túnel de ar está equipado com uma série de pequenos canhões de neve, que produzem diversos tipos de neve. A neve pode ser substituída por chuva de intensidade variável, e até mesmo o tamanho das gotas de chuva pode ser alterado. Acrescentando à água da chuva um químico visível aos raios ultravioleta (UV) e em seguida iluminando com esta luz UV os veículos testados, será possível determinar com exatidão os pontos onde a água da chuva e a sujeira ficam bloqueados e como escoam do veículo.

O veículo é estacionado sobre cilindros, um para cada par de rodas, que movimentam as rodas à velocidade máxima de 100 km/h, a velocidade ótima para testar os caminhões e os ônibus.

13347-152Entre os testes que podem ser realizados contam-se aqueles que avaliam o comportamento dos componentes ao calor e ao frio, de que modo a água da chuva escorre dos veículos, a visibilidade do motorista na condução sob chuva forte e neve, a acumulação de gelo no pára-brisas, o ruído do vento, e de que modo a sujeira adere aos lados da cabine, aos espelhos retrovisores e aos pegadores das portas.

“Os caminhões e ônibus Scania foram concebidos para proporcionar o melhor desempenho, independentemente do clima,” refere Christer Ramdén, Responsável de Testes de Desempenho de Veículos“. À medida que entramos em novos segmentos e mercados industriais, com condições climáticas cada vez mais difíceis, precisamos de ter a certeza de que o comportamento dos nossos veículos será irrepreensível.”

Inclui um tubo de 13 metros quadrados

A construção do edifício de 25 metros de altura começou em 2011 e ficou concluída no início de 2013, quando decorreram testes completos aos complexos sistemas. As elevadas dimensões do edifício justificam-se pela necessidade que o mesmo tem de abrigar caminhões e ônibus, além do enorme tubo, cuja superfície tem uma área de 13 m², a partir da qual o ar é forçado a passar no veículo e depois jogado até uma ventoinha num nível superior da instalação.

O túnel de vento oferece vantagens, tais como a realização de testes sob condições semelhantes às do Ártico, em pleno verão, e também o contrário, ou seja, simulando um calor abrasador, em pleno inverno. Acima de tudo, as instalações permitem a repetição de testes de forma confiável. Baseados em trechos de estradas realmente existentes, na Europa e em outros locais – cuidadosamente comprovados e registados – os testes realizados no túnel de vento podem ser programados para simular com exatidão estes segmentos.

Testes versáteis para um melhor desempenho

  • Sob chuva intensa, podem ser realizados testes para avaliar as infiltrações de água nas entradas de ar e o efeito destas nas funções do limpador de pára-brisas: verifica o modo com funcionam o sistema de climatização e o desembaçador.
  • Com neve, os testes podem determinar a quantidade de neve que se acumula na grade frontal, a entrada de neve nas entradas de ar, a acumulação de neve nos filtros, assim como as funções de limpador de pára-brisas e de descongelação.
  • O efeito do sol pode ser gerado com uma intensidade de radiação de 400–1100 W/m² na parte da frente, no teto e nas partes laterais da cabine. As funções de nubelosidade e de túnel podem igualmente ser simuladas. Os testes podem por isso mostrar o comportamento do sistema de climatização exposto ao calor.
  • Se adicionarmos 0,5% de um químico fluorescente à água da chuva, os testes irão provar uma contaminação das superfícies laterais e dos manípulos das portas, falta de visibilidade do pára-brisas e das janelas laterais, assim como o grau de sujeira dos espelhos laterais exteriores.
  • Podem também ser realizados testes aero-acústicos,para medir o ruído do vento, inclusive com uma corrente de ar lateral.

Fonte: Scania