Agrale ‘pensa grande’ para ganhar mercado

trator-agrale-6000




No ano em que a comercialização doméstica de máquinas agrícolas registrará um novo recorde, com forte aumento em relação a 2012, a Agrale terá que se contentar com um avanço mais modesto. A empresa prevê que suas vendas de tratores somarão entre 2,2 mil e 2,3 mil unidades em 2013, com um incremento de até 5%. Mas a empresa gaúcha faz planos para produzir máquinas maiores e mais potentes, que puxaram o mercado neste ano.

E essa diversificação já está em andamento. Tradicionalmente focada em tratores de menor potência, voltados para a agricultura familiar, a Agrale já tem 50% de sua comercialização total formada por equipamentos de média potência – de 60 a 90 cavalos, segundo a classificação da companhia -, de acordo com o diretor de vendas Flavio Crosa.

O executivo reconhece que o mercado de equipamentos para a agricultura familiar não tem apresentado o mesmo crescimento observado na área de máquinas maiores e mais sofisticadas, embora as menores ainda representem cerca de 40% do número total de tratores que deverão ser comercializados no país este ano – 65 mil, conforme estimativas de mercado.

Crosa também observa que novos agricultores familiares normalmente enfrentam dificuldades para obter crédito, além do fato de o número de produtores com essa característica não ter aumentado no país como a empresa esperava.

E a concorrência aumentou. Mesmo com uma expansão menos vigorosa, o mercado de máquinas para a agricultura familiar vem atraindo nos últimos anos empresas estrangeiras ao país, como são os casos da indiana Mahindra e da coreana LS Mtron.

Nesse contexto, diversificar pode ser a melhor alternativa. Mas, ainda que tenha planos concretos de lançar tratores mais potentes, a Agrale ainda prefere não revelar quando eles poderão chegar ao mercado nem detalha os investimentos previstos nesta frente. “Vai depender dos testes de campo”, afirmou Crosa.

A empresa comercializa tratores de 15 a 168 cavalos de potência. Os equipamentos acima de 100 cv são classificados pela empresa como “pesados”. A Agrale lançou neste ano novos tratores de média potência e estima que as vendas vão aumentar nessa categoria no ano que vem.

A área agrícola da Agrale representa de 20% a 25% do faturamento da companhia, que também produz caminhões, chassis, utilitários e motores em três fábricas em Caxias do Sul (RS) e em uma unidade na Argentina. A produção de tratores com mais de 100 cavalos de potência no país vizinho começou em junho deste ano. A companhia prevê faturar, no total, até R$ 1,2 bilhão em 2013, 10% mais que em 2012.

Fonte: Valor Econômico