Avaliação da nova geração do Fiorino

fiorino_076




Um dos responsáveis por manter a Fiat na liderança entre os veículos utilitários é o Fiorino. Com 11 mil unidades emplacadas no acumulado de janeiro a novembro, o modelo não tem concorrentes diretos no Brasil. Agora, o veterano mudou de geração. Antes baseado no Mille, ele agora é derivado do Uno, mas tem estrutura traseira da picape Strada. Seu preço inicial é de R$ 38.540, R$ 500 a mais que na versão anterior.

O furgão perdeu 100 litros de volume no compartimento traseiro, mas, segundo a Fiat, teve aumento de 30 kg na capacidade de carga – que é de 650 kg.

A redução do tamanho do compartimento foi justificada pela fabricante como necessária para reduzir o arrasto aerodinâmico e, consequentemente, melhorar o consumo. Com nota “A” no Programa Brasileiro de Etiquetagem, o furgão registra 7,5 km/l de etanol na cidade, conforme a Fiat.

Já o espaço interno diminuiu, algo facilmente observado durante a avaliação.

O motor é o 1.4 Evo de até 88 cv (com etanol), que substitui o 1.3 Fire de 71 cv. Apesar de ter um conjunto mais potente e de maior torque (12,5, ante 11,6 mkgf do anterior), o modelo ficou 10% mais pesado. Portanto, não houve ganho significativo em seu desempenho.

O peso extra é fruto da instalação de ABS e air bags dianteiros.

A suspensão traseira, por feixe de molas, é forte para aguentar cargas, mas não oferece conforto. Apesar disso, o furgão tem boa estabilidade e é fácil de conduzir. Os retrovisores externos são maiores que os do Uno e a visibilidade é favorecida.

Um ponto fraco é a falta de itens de conforto. No entanto, há muitos opcionais, como ar-condicionado e direção hidráulica, entre outros. O Fiorino completo custa R$ 41.710, preço próximo ao do Doblò.

FICHA TÉCNICA

Preço sugerido – R$ 38.540
Motor – 1.4, 4 cil., 8V, flexível
Potência – 88 cv a 5.750 rpm*
Torque – 12,5 mkgf a 3.500 rpm*
Comprimento – 4,38 metros
Capacidade de carga – 650 quilos
Consumo cidade – 7,5 km/l*

Fonte: Jornal do Carro