Caminhões novos de bombeiros ficam parados no DF por falta de peça

bombeiros




Em Brasília, mais de 20 caminhões que deveriam ser usados no combate a incêndios estão parados há mais de um mês. São caminhões novos que custaram milhões de reais, mas falta um acessório fundamental: a peça que segura a mangueira para apagar incêndio
Do alto dá para ver os caminhões parados no pátio do quartel do Corpo de Bombeiros. As 25 viaturas novinhas estão debaixo de sol e chuva. Custaram aos cofres do governo do Distrito Federal R$ 17 milhões.

O caminhão é específico para o combate a incêndios florestais e tem capacidade para lançar mil litros de água por minuto. Ainda conta com um sistema de proteção antichamas nas cabines e pneus para poder entrar no meio da mata durante um incêndio.

Ao todo, 14 viaturas foram recebidas com festa pela corporação em outubro. As outras 11, no começo de dezembro, e ainda nem foram emplacadas.

Segundo o corpo de bombeiros, as 25 viaturas ainda não vieram para as ruas da capital porque saíram de fábrica sem uma peça específica para prender a mangueira de água. O problema só deve ser solucionado em janeiro, o que permitirá que os veículos sejam utilizados.

“Essa peça já chegou em Brasília e nos temos junto ao nosso centro de manutenção e os fornecedores já vão colocar essa peça”, afirma um bombeiro.

Os 30 quartéis do Distrito Federal contam com cerca de 300 veículos, entre caminhões, ambulâncias e motos resgate, mas 50 estão em manutenção. Os novos caminhões de combate ao incêndio florestal vão reforçar a frota atual.

A sorte é que está na época de muita chuva em Brasília e os bombeiros não têm que enfrentar um problema comum na seca: os incêndios em florestas, quando esses caminhões são essenciais. Os caminhões poderiam ser usados também em áreas urbanas.

Fonte: Bom Dia Brasil




Um comentário em “Caminhões novos de bombeiros ficam parados no DF por falta de peça

  • 19/12/2013 em 11:27
    Permalink

    Portugueses sempre esquecem de alguma coisa nos seus produtos…

Fechado para comentários.