Especialista garante que ferrovia será a melhor saída para o Brasil

trem all

Durante visita realizada no Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR) da América Latina Logística (ALL), promovida pela secretaria de Logística Intermodal de Transportes, o especialista no setor e professor da UFMT Luiz Miguel de Miranda ressaltou que a ferrovia é a melhor saída para o transporte de grãos em todo o Brasil. “Hoje são gastos mais de R$ 125 mil para manter cada uma das rodovias todos os anos. Além disso, enquanto o trem gasta 4 km por litro para transportar 6,4 mil toneladas, um caminhão gasta 2 km por litro para uma quantidade de carga que não pode nem ser comparada de tão pequena que é. Tem ainda o custo de acidentes que é bem menor e com meio ambiente, que para as rodovias é altíssimo”, explicou.

Por isso, de acordo com o secretário de Logística Intermodal de Transportes, Francisco Vuolo (PP), que esteve à frente da comitiva de visita à ALL, ressaltou que a intenção de abrir as portas do complexo para as empresas e para a imprensa é justamente fazer com que todos possam entender o funcionamento do terminal e fiscalizar como ele está operando atualmente. “Fazemos parte do Fórum Pró-Rodovia e a ferrovia é justamente uma das saídas para melhorarmos o transporte de cargas em Mato Grosso e em todo o país”, disse.

LEIA MAIS  Dois Unimogs rebocam trens de 200 toneladas

O CIR foi inaugurado em Rondonópolis a cerca de dois meses. No início, estava operando apenas com cinco tombadores, que é o local onde os caminhões são elevados para descarregar os grãos no armazém ou nos vagões. Agora, são sete tombadores em operação, o que tem garantido a capacidade máxima do terminal, com sete caminhões descarregando simultaneamente e cerca de 70 caminhões descarregados por hora.

O complexo tem funcionado 24 horas por dia e atualmente o pátio – que ainda não foi totalmente pavimentado – pode abrigar até 500 caminhões. A projeção é para que o terminal receba 1 milhão de toneladas de grãos por mês, durante o período das safras maiores, já que no momento, apenas os grãos de milho estão sendo comercializados. A soja deve começar a ser transportada a partir da metade de janeiro de 2014. O CIR conta com apenas um armazém com três células, que tem capacidade para amazenamento estático de 60 mil toneladas de grãos.

LEIA MAIS  Dois Unimogs rebocam trens de 200 toneladas

De acordo com gerente de operações da ALL Mato Grosso, Ivandro Paim, a implantação do terminal em Rondonópolis foi mais uma opção de transporte de grãos no estado, mas que os demais terminais – Alto Araguaia e Itiquira – vão continuar em operação constante.

Fonte: RD News




Um comentário em “Especialista garante que ferrovia será a melhor saída para o Brasil

  • 16/12/2013 em 15:27
    Permalink

    A ALL até hoje não assentou um milímetro de ferrovias. Tudo que ela fez foi pegar as concessões que tem e explorar ao máximo. Isso com dinheiro que o governo emprestou pra comprar as ferrovias do governo. Coisa de gênio.

Fechado para comentários.