Iveco integra a frota da Creme Mel Sorvetes, maior do segmento no Centro-Oeste

Creme Mel




Quando trafegava nas rodovias de Goiás, o motorista de ônibus Antônio Benedito dos Santos nem imaginava que alguns anos depois seria proprietário de uma frota de veículos, entre eles 31 caminhões Iveco. Foi em 1987 que ele decidiu recomeçar mudando totalmente de ramo: largou o volante e comprou uma máquina de fabricar sorvetes e picolés. Hoje ele administra a Creme Mel, maior indústria de sorvetes do Centro-Oeste com capacidade de produção de 32 mil picolés e 15 mil litros de sorvete por hora.

Para transportar tanta mercadoria para nove estados brasileiros e Distrito Federal, o empresário precisou ampliar a sua frota e adquirir caminhões para dois tipos de segmentos: entregas de longa e pequena distância. Foi aí que a experiência como motorista fez toda a diferença. “Os veículos Iveco nos atendem muito bem. São resistentes e econômicos. Estamos satisfeitos com a escolha”, comenta o empresário Antônio Santos.

Para os pequenos trechos, ele optou pelo furgão Daily, modelos 45s14 e 70c17, um veículo leve com motor Iveco FPT F1C Dual Stage e a tecnologia EGR (sigla inglesa para Recirculação dos Gases de Exaustão), que dispensa o Arla-32. “O Daily é um carrão. Excelente para entregas rápidas na capital goiana e perímetro urbano”.

A distribuição para São Paulo, Tocantins, Minas Gerais, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal é feita a bordo dos modelos Stralis e Tector, ideais para grandes cargas. “O nosso escoamento diário é bem significativo, cerca de 55 toneladas de picolés e sorvetes. Optamos por caminhões robustos como o Stralis, um veículo que não encontro defeito. São caminhões que não dão problema”, elogia Santos.

Com freio motor de 415 cv e freio auxiliar Intarder com 978 cv, ambos mais potentes da categoria, o extrapesado Iveco Stralis proporciona uma viagem mais rápida, com menos trocas de marchas e maior segurança nas ultrapassagens e retomadas. O Iveco Tector oferece conforto, economia, potência e durabilidade, características para quem procura por um semipesado com alta produtividade.

Para transportar as mercadorias foram implementados baús frigoríficos em toda a frota. “As placas eutéticas para refrigeração são muito pesadas, 90 quilos cada, e suportam refrigeração de 24 a 36 horas. Temos um Tector 240E25, por exemplo, equipado com baús refrigerados com 10 placas eutéticas. Foi uma ótima opção por ser forte e ágil”, comenta o gerente de Manutenção de Veículos da Creme Mel, Valdemiro Resende.

Os caminhões Vertis 90v16 são usados para viagens de mil quilômetros, em média. “O Vertis nos atende bem. Conseguimos realizar entrega porta a porta com carregamento de 3 mil quilos de sorvete e picolés em cada baú refrigerado”, diz Resende.

Segundo Antônio Santos, a escolha por veículos resistentes foi bastante acertada, especialmente em locais onde as estradas são ruins. “Um dos nossos maiores desafios são as estradas, muitas em péssimas condições e mal conservadas. Para suportar tanta precariedade, precisamos de caminhões que aguentem firme”, diz Santos que dá como exemplo a dificuldade enfrentada pelos motoristas do Pará, onde a distribuição é terceirizada, porém também realizada com caminhões Iveco. “A situação é crítica e os motoristas necessitam de trucks potentes”.

Novos investimentos

Em julho deste ano a Creme Mel recebeu um investimento da H.I.G Capital, gestora americana de private equity. O capital será usado para construir a nova fábrica da empresa e ampliar os negócios. “A expansão da empresa contará com uma grande câmara frigorífica para estocar a produção, fábrica de chocolate e polpa de frutas para uso interno e uma injetora de plástico para embalagens dos picolés e sorvete. Esperamos com esse crescimento ampliar também a nossa frota de caminhões para atender clientes de outros estados do país”, finaliza.

Fonte: Iveco