Justiça considera ilegal paralisação dos caminhoneiros nos portões da Libra

caminhoneiros parados - santos sp




A Justiça considerou ilegal a paralisação dos caminhoneiros que é realizada em frente aos portões de acesso ao terminal da Libra, na Margem Direita do Porto de Santos. Uma liminar que beneficia a empresa ameaça multar em até R$ 1 milhão o sindicato da categoria, além de realizar o bloqueio on-line dos serviços prestados, acumulando um montante de R$ 150 mil.

“Não podemos aceitar a tentativa do sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindican) em impor uma reserva de mercado para sua categoria, que não acompanha a realidade do cenário competitivo atual. Estamos tentando resolver a questão da melhor forma possível”, afirma o diretor geral da Libra Terminais Santos, Roberto Teller.

Os profissionais reivindicam o direito de exercer funções que seriam de exclusividade dos caminhoneiros autônomos do Porto. “Desde 2010, todos os contêineres vazios têm que ser transportados pelos caminhoneiros autônomos responsáveis. Porém, a Libra arrumou um jeito para que os caminhões que vêm de viagem, tragam e depositem o contêiner onde estava reservado para que nós fizéssemos esse transporte”, afirmou o caminhoneiro Silvio Cesar Carneiro.

Segundo o diretor do Sindicam, Alexsander Freitas, motivados pela decisão da Justiça, os caminhoneiros saíram dos portões de acesso à Libra e descolaram o acampamento para as proximidades do Mercado Municipal. “Não queremos arrumar briga, apenas nossos diretos. Precisamos ter nossas condições de trabalho garantidas”, desabafou. Segundo ele, apesar da trégua, as ações do Sindicato e dos caminhoneiros continuam.

Fonte: A Tribuna




2 comentários em “Justiça considera ilegal paralisação dos caminhoneiros nos portões da Libra

  • 05/12/2013 em 14:46
    Permalink

    MAIS UMA VEZ A JUSTIÇA VENDIDA CONTRA OS TRABALHADORES. JUDICIÁRIO CORRUPTO PIOR QUE POLITICO CORRUPTO

  • 05/12/2013 em 10:28
    Permalink

    E assim empresas seguem jogando autônomos contra autônomos.E lucrando cada vz mais, não investindo no patrimônio humano de sua região. Sei que é dificíl entender, mas a outra ponta acusada de fazer o serviço, se vê obrigada a tal.Não podem se negar, por conta de perder o serviço também. A desunião é a causa de todo mal da categoria. Pois se parassem todos, se corrigiria estas anomalias. Exigindo cumprimento de acordos e cada qual no seu quadrado.

Fechado para comentários.