Mercedes-Benz G63 AMG 6X6 – Seis por meia dúzia

Mercedes-Benz G63 AMG 6X6 (1)




A receita usada pelas divisões esportivas das fabricantes de automóveis é simples. Uma dose a mais de potência e um punhado de adereços aerodinâmicos para um visual mais agressivo. Mas a AMG – divisão esportiva da Mercedes-Benz – pesou a mão com o G63 AMG 6X6. O modelo resgata uma fórmula antiga, usada desde os anos 30, quando a Mercedes fornecia veículos militares de seis rodas para o governo nazista, e aplicada mais recentemente no G320 CDI, desenvolvido para o exército australiano.

A AMG foi além e viu certa demanda para uma versão “civil” – principalmente do Oriente Médio. Usou como base o utilitário esportivo G63 AMG e criou um verdadeiro “devorador” de dunas altas ou qualquer piso extremamente acidentado. Além dos três eixos, há cinco diferenciais blocantes que podem travar qualquer uma das rodas ao toque de um botão no painel. O G63 AMG 6X6 ainda tem aptidão de encarar alagados com até um metro de profundidade.

Esses números superlativos continuam. Com o terceiro eixo e a elevação do habitáculo, o SUV ostenta 5,87 m de comprimento, 2,30 m de altura e 2,10 m de largura. Ele tem 46 cm de vão livre em relação ao solo. O ângulo de ataque chega a 50° e o de saída a 45°. Essas medidas determinam a capacidade do veículo em transpor obstáculos sem danificar partes tanto na dianteira quanto na traseira – como para-choques, chassi ou suspensão. Em termos de comparação, o G63 AMG tem ângulos de 36° e 27°, de entrada e de saída, respectivamente.

O G63 AMG 6X6 ainda vem com um sistema de controle da pressão dos pneus. São quatro tanques de ar com capacidade para 20 l e um enorme compressor. Eles servem para inflar os esvaziar os pneus de acordo com a necessidade. Depois de rodar com menor calibragem – para terrenos de baixa aderência –, o sistema permite encher novamente os compostos para encarar o asfalto. Da calibragem 0 a 2 bar, o processo acontece em 20 s.

Usina de força

Para tirar o “monstro” de 3.850 kg do lugar, a Mercedes-Benz e a AMG instalaram no G63 6X6 um motor V8 5.5 l com dois turbocompressores – mesmo da G63 “regular”. Ele é capaz de gerar 551 cv e absurdos 77,3 kgfm de torque. Tudo é gerenciado pela transmissão automatizada de sete velocidades e dupla embreagem, que distribui a potência entre as seis rodas e conta com a opção de reduzida para enfrentar terrenos mais íngrimes.

Apesar de todo o “corpanzil”, o SUV não decepciona quanto ao desempenho. Ele acelera de 0 a 100 km/h em menos de 6 s. Já a velocidade máxima foi limitada eletronicamente em 160 km/h. Afinal, parar um “tanque” desses não é uma tarefa muito fácil.

Apesar ser um utilitário para usos extremos, o G63 AMG 6X6 não deixa de lado todo o refinamento e conforto dos carros da marca alemã. Os bancos contam com ajustes elétricos de posição e aquecimento. Eles podem ser forrados em marrom ou branco com costuras vermelhas, para dar contraste, além de terem o estofado com desenhos em formato de diamante. Na parte traseira só há capacidade para dois ocupantes, que são separados por um console que segue o padrão de acabamento dos bancos e dos painéis das portas.

Toda essa suntuosidade tem um preço à altura: 411 mil euros, na Alemanha – o equivalente a R$ 1,3 milhão. Essa etiqueta o torna o segundo veículo mais caro do portfólio da AMG ­– só perde para o SLS Electric Drive. De acordo com a Mercedes, o SUV terá de 20 a 30 unidades construídas por ano, conforme for a demanda. O G63 AMG 6X6 é feito em Graz, na Áustria, em parceria com a Magna Steyr.

Fonte: AUTO PRESS