Motores Volvo na Copa do Mundo 2014

Volvo Penta




A Volvo Penta, divisão de motores marítimos e industriais do Grupo Volvo, está ampliando seu foco de atuação na América Latina. A marca é líder no segmento de motores marítimos de lazer no Brasil e, desde o início deste ano, está concentrando esforços também no mercado de motores industriais de grande porte, de 13 a 16 litros.

“O Brasil é um mercado de grande potencial. A evolução sócio econômica do país demanda por maior automatização nos segmentos agrícola, industrial e de infraestrutura, o que gera o aumento da necessidade de geração de energia”, explica João Zarpelão, diretor de motores industriais da Volvo Penta South America.

Os modelos da marca são indicados para geradores de energia, irrigadores, bombas de incêndio e picadores, entre outros. O mercado brasileiro de motores industriais de grande porte é de cerca de 20 mil unidades por ano.

Para atingir esta meta, a Volvo Penta aposta em relações comerciais com empresas que atuam neste mercado, como a Stemac, líder no segmento de geradores de energia no país. Os motores da marca já equipam os geradores Stemac de dois estádios que vão receber jogos da Copa do Mundo de 2014, a Arena Beira Rio, de Porto Alegre; e a Arena Amazônia, em Manaus. Além disso, os aeroportos de Natal, Brasília e Guarulhos também terão geradores de energia equipados com motores Volvo Penta.

“Nossa meta é ser o parceiro profissional preferido de empresas que fornecem estes tipos de produtos”, afirma Zarpelão.

Pela robutez e baixo consumo de combustível, os motores industriais Volvo Penta são indicados, especialmente, para aplicações que exigem alta disponibilidade e uso contínuo, como grandes shows, trabalhos em lugares remotos sem acesso à energia elétrica e operações de construção e mineração.

Os motores são importados da Suécia. Para atender à demanda por assistência técnica e de atendimento aos clientes, a Volvo Penta planeja utilizar a mesma estrutura da Volvo Construction Equipment no país, formada por uma rede de 33 pontos de atendimento espalhadas pelo interior e litoral. “Podemos aproveitar a estrutura já existente pelas características e similaridade dos negócios”, destaca Zarpelão.

Fonte: Volvo