Novas marcas de caminhão querem mais espaço em 2014

DAF-XF105-6x4-FTT-Space-Cab-20120134




Para as marcas de caminhão que estão chegando ao Brasil, o ano de 2014 será promissor. Duas delas, DAF e International, inauguraram fábricas em território nacional em 2013 e estão prontas para atender os frotistas. Já a chinesa Foton Aumark espera inaugurar sua planta no início de 2016, mas já intensificou a importação de veículos. Todas enxergam o mercado brasileiro como um dos mais importantes do mundo.

Tendo iniciado a produção na fábrica de Ponta Grossa (PR) em outubro, a DAF entregou 70 caminhões em 2013. Para seu diretor Comercial, Michael Kuester, é difícil fazer uma projeção sobre o mercado no próximo ano. “Primeiro precisamos mostrar ao mercado a qualidade do nosso produto”, justifica. Mesmo assim, ele conta que, no planejamento da empresa para 2014, está a produção de 2 mil veículos.

Desde o início de dezembro, a DAF está homologada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar seus produtos pelo Programa de Sustentação do Investimento (PSI), que tem taxa de juros de 6% ao ano. “A taxa é muito boa e o mercado é maior. Estamos muito satisfeitos”, declara. A fábrica já conta com 15 concessionárias no País e pretende fechar 2014 com 35 lojas. O carro-chefe da marca europeia que pertence ao grupo norte-americano Paccar, é o extrapesado XF 105.

Veio pra ficar

Também muito satisfeita está a International, que inaugurou fábrica em Canoas (RS), em junho. Segundo o diretor comercial Fred Petroff, a estimativa é que as vendas cresçam até 35% em 2014. Em 2013, foram entregues cerca de 700 veículos semipesados e pesados. Boa parte deles para atender ao Ministério do Desenvolvimento Agrário. De acordo com a licitação vencida pela montadora, ela terá de entregar 900 caminhões Durastar 6×4, de 270 cavalos. Parte ainda está não foi produzida.

“Estamos trabalhando de forma consistente, passo a passo “, declara. Questionado sobre o fato de a marca já ter deixado o País anteriormente, ele admite que os clientes o questionam a esse respeito. Mas alega que a International tem conseguido mostrar que “veio para ficar”. “Estamos expandindo, temos 18 concessionárias plenas no País e mais 20 pontos em lojas MWM. Ou seja, são 38 pontos de venda e assistência técnica”, conta.

Petroff ressalta que o Brasil está entre os cinco mercados mais competitivos de caminhões no mundo. “Por isso, muito em breve, todas as marcas estarão aqui. E a gente quer um pedaço deste mercado”, afirma. Os veículos International já são 100% financiáveis pelo PSI.

Leves e caminhonetes

De olho no mercado brasileiro de caminhonetes e caminhões leves, a Foton Aumark do Brasil começou a vender seus veículos no País em 2013. E espera deslanchar no próximo ano. “Já estamos com 24 concessionárias e terminaremos 2014 com 50″, conta o diretor de Vendas da empresa, Marcos Leandro.

Por enquanto, a marca está trazendo três produtos da China: uma caminhonete para 3,5 toneladas e dois caminhões, um para 6,5 toneladas e outro para 8 toneladas. A caminhonete, que, segundo o diretor, tem como única concorrente a Iveco Daily S14, será o primeiro veículo a ser produzido na fábrica Foton do Brasil, que deve iniciar sua produção no início de 2016, em Guaíba (RS).

Os veículos ainda não podem ser financiados pelo PSI. Mas o diretor garante haver uma linha competitiva para eles. “Fizemos uma parceria com o Itaú, com uma taxa atrativa de 0,99% mês, mais interessante que o CDC comum”, explica Leandro.

O caminhão de 6,5 toneladas, segundo ele, compete diretamente com o Iveco 70.116 e o de 8 toneladas tem similares em várias marcas. “Chegamos com preço muito competitivo em todos os produtos. Eles vêm com vários itens de série, como ar-condicionado, piloto automático, freio AB S, vidros e travas elétricas”, declara.

Questionado sobre a percepção do mercado em relação aos veículos chineses, Leandro afirma que a Foton tem dado dedicação especial ao pós-venda. “Sempre vai ter quem pense que toda marca chinesa é igual. Nós procuramos mostrar que somos diferentes. Acho que o Ocidente já aprendeu que a China sabe fazer produtos de qualidade”, declara.

Ele conta que o caminhão mais pesado da marca é um 6×4 de 480 cavalos e que a Foton está fazendo estudo de viabilidade para trazê-lo ao Brasil.”O mercado brasileiro de extrapesados é extremamente completo. Estamos estudando, mas é projeto de longo prazo”, afirma.

Fonte: Revista Carga Pesada Texto Nelson Bortolin




Um comentário em “Novas marcas de caminhão querem mais espaço em 2014

  • 29/12/2013 em 00:49
    Permalink

    Da DAF esperemos simplesmente a luta pela liderança à médio prazo; da Foton não duvido que cresça muito, tem bons produtos apesar que ainda caros por ser uma marca nova no mercado. Extrapesados da marca Foton seria bom para acirrar mais a concorrência com as contemporâneas Shacman e Sinotruk, assim elas aumentam suas gamas de produtos e atualizariam seus produtos mais rapidamente, além do preço melhor é claro.

Fechado para comentários.