Transporte de grãos no Brasil custa 360% mais que na Argentina

Caminhão Scania T113H360 bitrem na BR-476 - Foto de Rafael Brusque Toporowicz - Blog do Caminhoneiro




O Brasil gastou US$ 4,97 bilhões a mais do que a Argentina com o transporte de soja e milho na safra 2012/13. Com base em uma média ponderada de distâncias feita pelo setor exportador, os brasileiros gastaram US$ 92 por tonelada no transporte desses grãos para o porto, 360% mais que a despesa dos argentinos (US$ 20 por tonelada). Os norte-americanos gastam US$ 23.

Essas despesas trouxeram grande impacto tanto para os produtores, que receberam preços menores pela commodity, como para a indústria.

Só as tradings gastaram US$ 2,5 bilhões a mais do que haviam planejado com frete e “demurrage”, uma multa cobrada dos exportadores pelo atraso na entrega da mercadoria aos navios.

O ritmo de alta dos gastos com frete pode perder fôlego na safra 2013/14, mas ainda será elevado. E, quanto mais subir esse frete, menor será o preço pago ao produtor.

A indústria sentiu na carne essa logística cara, segundo Carlo Lovatelli, presidente da Abiove (associação das indústrias moageiras).

O gargalo logístico e o processo inadequado de tributação no setor têm reduzido as exportações de produtos industrializados. Pela primeira vez, o país começa a exportar um volume maior de soja em grão do que o que é processado internamente.

A consequência é que a indústria de processamento de soja tem 40% de capacidade ociosa e a exportação só do grão transfere fábricas e empregos do Brasil para o exterior, segundo Lovatelli.

Se o ano de 2013 foi ruim para o setor, há sinais alentadores para 2014, quando começam as exportações pelo Norte do país –embora em volumes muito pequenos.

Além disso, as indústrias negociam com a Receita Federal um mecanismo mais rápido para a recuperação de créditos presumidos de PIS/Cofins (tributo acumulado durante o processo de produção a que as empresas têm diretiro de receber de volta). O ressarcimento, que hoje demora de quatro a cinco anos, poderá ser feito em 90 dias por meios eletrônicos.

Outra esperança do setor é que o governo já tem um diagnóstico dos principais investimentos que devem ser feitos em logística. Mas, para Daniel Furlan Amaral, gerente de economia da Abiove, falta acelerar a execução.

Fonte: Folha de São Paulo




Um comentário em “Transporte de grãos no Brasil custa 360% mais que na Argentina

  • 18/02/2014 em 00:00
    Permalink

    É UMA GRANDE MENTIRA DESTE SENHOR LOVATELLI. O VALOR DO FRETE PARA O TRANSPORTE DE SOJA DE SINOP AO PORTO DE SANTOS ESTA US 92,00, EXATOS R$230,00, O COMPARATIVO QUE FAZ COM A ARGENTINA US 20,00, COM CERTEZA NÃO CONSIDER AS DISTANCIAS, E US 20,00 AO QUAL FEZ O COMPARATIVO, SEQUER PAGAM OS CUSTOS DO TRECHO PERCORRIDOS, AINDA MAIS QUE CADA CAMINHÃO SÓ CONSEGUE DAR UMA VIAGEM POR SEMANA, QUANTO MUITO CINCO AO MÊS, SE ELE ACHA QUE O TRANSPORTE ESTA CARO, QUE COMPRE CAMINHÕES E FAÇA ELE MESMO O SEU TRANSPORTE, QUERO VER PAGAR DIESEL, MOTORISTA DIÁRIA DE MOTORISTA TODOS OS ENCARGOS, PRESTAÇÃO DOS CAMINHÕES, SEGURO, MANUTENÇÃO, PNEUS, ETC ETC ETC, UMA LISTA IMENSA DE CUSTO, AI QUERO VER, US 20,00 POR TON. KKKKKKKKKKKKKK

Fechado para comentários.