Tribunal de Justiça anula falência da Busscar Ônibus

busscar-panoramico-dd-11




A Busscar Ônibus terá nova oportunidade para tentar se reerguer. Após quatorze meses na condição de empresa falimentar, de acordo com decisão tomada em 25 de setembro do ano passado pelo juiz Maurício Povoas, da comarca de Joinville, SC, em assembleia de credores que rejeitou o plano de recuperação judicial, a fabricante de carrocerias de ônibus conseguiu, no Tribunal de Justiça do Estado, anular a sentença.

Com a decisão a empresa terá de apresentar novo plano até 7 de janeiro de 2014, que será submetido a assembleia de credores em 6 de fevereiro.

Responsável pelos recursos ajuizados, o advogado Euclides Ribeiro S. Junior destacou que a decisão do Tribunal de Justiça se ampara no entendimento de que o BNDES, um dos principais credores, não votou na assembleia porque não havia analisado a proposta. Além da empresa, os recursos foram interpostos por grupos de trabalhadores, Ministério Público e alguns outros credores.

Embora considere exíguo o prazo de pouco mais de sessenta dias estabelecido pelo juiz Marco Augusto Ghisi Machado, da 5ª vara cível da comarca de Joinville, para apresentação do novo plano, o advogado acredita ser possível a sua formulação. Segundo ele, será uma proposta totalmente diferente da anterior, porque o cenário mudou nos últimos quatorze meses. “Em setembro de 2012 a empresa estava operando. Desde a decretação da falência parou de funcionar. O plano de então não faz mais sentido.”

O advogado adianta que o novo plano terá como fim a retomada da produção. Argumentou que a situação falimentar só interessa a algumas poucas pessoas que têm tirado proveito dela. “Só existe uma forma de gerar riqueza, que é produzindo. Não importa nas mãos de quem estiver, porque se não produzir não haverá riqueza.”

Diante da decisão do Tribunal de Justiça, os leilões que estavam marcados para a sexta-feira, 29 de novembro, e 19 de dezembro foram suspensos até a realização da assembleia de credores. A Tecnofibras, empresa do grupo que seria leiloada em dezembro, continuará funcionando normalmente. Já a Climabuss permanecerá fechada. Não há, segundo o advogado, sentido em retomar a produção porque a empresa só fornecia equipamentos de ar-condicionado para ônibus da própria Busscar.

O Sindicato dos Mecânicos de Joinville solicitou audiência com o juiz da 5ª vara cível de Joinville e com o administrador judicial Rainoldo Uessler para saber dos futuros passos após a anulação da falência da Busscar pelo Tribunal de Justiça. O ex-presidente da entidade, João Brugmann, avalia que pode surgir um investidor interessado em fazer proposta de aquisição da Busscar em nova assembleia de credores sem passar por leilão.

No documento em que determina a realização de nova assembleia, o juiz Marco Augusto Ghisi Machado justifica o prazo de setenta dias para apresentação do novo plano pela existência de inúmeros investidores interessados nos ativos do grupo. “Para evitar a depreciação dos bens é preciso resolver logo a questão.”

Dentre os interessados pelos ativos da Busscar Ônibus estariam empresas do Panamá e do México. No caso da Tecnofibras, fabricante de componentes automotivos em fibra de vidro e plástico reforçado, há nove candidatos potenciais. Após apresentação da nova versão do plano de recuperação judicial, os credores poderão se manifestar até 22 de janeiro.

Reunida na tarde da sexta-feira, 29, a diretoria do Sindicato dos Mecânicos decidiu convocar assembleia geral dos ex-trabalhadores da Busscar para 14 de janeiro. O objetivo é avaliar e tomar posição sobre como votar na assembleia dos credores.

O presidente da entidade Evangelista dos Santos afirma que será importante a manifestação dos trabalhadores: “A partir do que for deliberado poderemos negociar e propor alguma mudança para melhorar o plano que a empresa apresentar”. O presidente assinalou que a decisão judicial de suspender a falência frustrou os trabalhadores, que esperavam pela venda de ativos nos leilões já marcados para recebimento de seus créditos. “Agora a agonia irá perdurar por, pelo menos, mais dois meses.”

Fonte: Portal Autodata




5 comentários em “Tribunal de Justiça anula falência da Busscar Ônibus

  • 09/01/2014 em 11:44
    Permalink

    eu quero ver aquela empresa produzindo gerando emprego para joinville .nao interessa a falencia .nao da emprego a ninguem e so empobrece a nossa cidade que ja sofreu muito a tempos atraz com um prefeito que nao trouxe nem um benificio a nossa joinville .

    • 09/06/2014 em 17:39
      Permalink

      esperamos que essa cambada ai pensei um pouco em noz que fizemos essa empresa se destacar no mundo se esta assim e por causa desses admenistradores emcopetentes que nao souberao ademenistra.

  • 03/01/2014 em 03:33
    Permalink

    Esperamos fielmente ver a Busscar Ônibus de Joinville re-erguida,com os Direitos Trabalhistas em dia e outros assuntos relativos a ela, grassas a Deus que houve mais uma oportunidade ao melhor fabricante de ônibus do país, sei que essa potência vai voltar e colocar muitas jentinhas que se diz superior a tudo no brasil em seu lugar. Volta Busscar!, Volta Busscar!.

  • 09/12/2013 em 23:31
    Permalink

    Parece uma piada, tem jeito de ser joguinho de cartas marcadas, mas esperar o que de um paízinho desses!!

  • 05/12/2013 em 09:26
    Permalink

    Por certo entre estas empresas Panamenhas esta a mesma dona do hotel que, ofereceu emprego ao Zé Dirceu larápio.

Fechado para comentários.