Iveco tem linha fora de estrada para transporte na mineração

Iveco Trakker 8x4 410T42 Basculante

Especificamente para a área de mineração, a Iveco possui dois produtos para transporte dentro das minas. São os caminhões fora de estrada das linhas Trakker e Tector. Enquanto o semipesado Tector funciona como veículo de apoio nas versões 4×2 e 6×4, o pesado Trakker é mais recomendado para o transporte de minério, com modelos 6×4 e 8×4. Ambos possuem como itens de séria transmissão automatizada, freio auxiliar Intarder com potência de frenagem de até 910 cv, eixos traseiros com redução nos cubos e relação de redução de 6,57:1, ideal para trabalho interno em minas. De acordo com Marluz Cariani, gerente de Vendas Off-Road da empresa, a linha Trakker, de veículos de 440 cv e 480 cv, ganhará em 2014 um modelo de 360 cv.

LEIA MAIS  Empresa da Alemanha cria estacionamento vertical para caminhões

Atualmente, mais de 100 veículos da série Trakker estão em operação no transporte e apoio para a extração de minério de ferro da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) – Namisa em Minas Gerais, afirma Cariani. “Os produtos da Iveco no segmento off-road trazem como principais inovações o desenvolvimento focado em robustez e, consequentemente, disponibilidade da frota”, diz.

O chassi feito com aço especial FeE490 e dotado de transmissão automatizada forma uma configuração que faz com que o veículo suporte peso bruto total (PBT) de até 50 t. Já o motor fornece um torque de até 2.250 Nm, o que permite o uso do caminhão em condições adversas de terreno.

O destaque do pacote de pós-venda da Iveco é a instalação de oficinas dentro das minas para dar suporte aos veículos. O serviço tem sido utilizado pela CSN – Namisa. No Brasil, a Iveco conta com 110 concessionários espalhadas por todos os Estados.

LEIA MAIS  Caminhão é flagrado com quase o dobro do peso máximo permitido em Garanhuns-PE

Segundo Marluz Cariani, a Iveco deve fechar o ano de 2013 com 8,7 % de market share no segmento fora de estrada “Para 2014, teremos muitas novidades para o segmento, em que temos como objetivo alcançar uma fatia de mercado na casa dos 10 %”.

Fonte: Revista Minérios