Programa de renovação de frota pode ser definido neste ano

F600 1960 - Foto de Fernando D Avila Soares




Indústria, transportadores e governo estão na mesa de negociação para, mais uma vez, tentar definir um programa de renovação de frota para caminhões. Pela sociedade civil, 11 entidades participarão das discussões com o governo, que destacou os ministérios das Cidades, Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Minas e Energia e Casa Civil para tentar encontrar um meio de implementar o projeto para tirar de circulação caminhões com mais de 30 anos de uso.

De acordo com Luiz Carlos Moraes, diretor de relações institucionais e comunicação da Mercedes-Benz, existe a possibilidade de se estabelecer um crédito de renovação de frota até R$ 20 mil para ser abatido na compra de um caminhão novo ou seminovo pelo proprietário que entregar seu caminhão velho para ser sucateado em uma empresa autorizada pelo governo. “Uma das possibilidades é que o crédito possa ser recuperado pelo fabricante ou revendedor com abatimento em impostos”, disse.

A dificuldade de caixa do governo federal é um dos problemas para a definição do programa, mas o entendimento dos negociadores é que a ideia está mais madura do que nunca, já que está provado que o país terá muito mais ganhos concretos se conseguir fazer com que caminhões ultrapassados saiam de circulação.

De acordo com dados estatísticos, os caminhões representam menos de 10% da frota brasileira. Mas, no entanto, estão envolvidos em 25% dos acidentes graves. Os congestionamentos causados por quebra de caminhões ou acidentes nas ruas das grandes cidades ou nas estradas acarretam custos de R$ 4,9 bilhões ao Instituo Nacional do Seguro Social (INSS) e Sistema Único de Saúde (SUS).

A expectativa é que o governo tome uma posição em 2014. O programa é uma antiga reivindicação da indústria e dos operadores, que anseiam por veículos mais atualizados e que ofereçam maior segurança na via. Cálculos iniciais indicam que cerca de 200 mil caminhões podem se beneficiar do programa.

A estimativa é que, com um programa de renovação de frota, o Brasil leve pelo menos dez anos para ter uma frota mais atualizada, atingindo média de dez anos de uso – mais próxima da de países desenvolvidos. Se for aprovado, o projeto pode estimular troca de até 30 mil caminhões por ano, sendo que 5 mil deles substituídos por veículos zero quilômetro.

Para o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo e Região (Setcesp), Manoel Lima Sousa Jr., o setor de transporte rodoviário de cargas brasileiro sabe da necessidade de renovação da frota das empresas e dos caminhoneiros autônomos. “A idade média elevada mostra um retrato importante do transporte brasileiro, que ainda sofre com a falta de incentivos e de condições para que suas empresas e seus autônomos possam rodar com caminhões mais novos, mais seguros, menos poluentes e operacionalmente mais eficientes”, disse.

Fonte: Transporte Mídia




2 comentários em “Programa de renovação de frota pode ser definido neste ano

  • 24/05/2014 em 08:10
    Permalink

    Tudo não passa de conversinha. O autônomo que não oferece uma boa garantia na hora da compra, nunca vai conseguir aquisição do veiculo. Qual autônomo que não quer trabalhar com um caminhão semi novo, para não dizer um zero. Ninguem oferece nada de graça, este tipo de coisa é só para empresarios bem nutridos.

  • 01/04/2014 em 16:11
    Permalink

    precisamos ver para crer pois o que se esta de fato existindo aqui no RJ e uma grande armação em cima dos caminhoneiros autônomos pois a jsl usando a trans rio ,comprou uma grande quantidade de veículos de vários autônomos e incorporou a sua frota a fim de conseguir os benefícios do plano do governo e agora vem a publico informar que o primeiro grupo de caminhões foi renovado . agora tente vc autônomo trocar o seu caminhão direto na vw..e depois me conte o resultado..

Fechado para comentários.