Escassez de motoristas afeta setor de transporte de carga em Marília

motoristas_incentivo1




O Brasil está precisando de motoristas profissionais. A escassez é reflexo das péssimas condições das rodovias e da vida dura ao volante. De acordo com um levantamento do Sindicato dos Motoristas, a cidade de Marília (SP) não foge à regra e enfrenta um déficit de profissionais. Segundo o presidente da entidade, em apenas uma das transportadoras da cidade, 30 caminhões estão parados por falta de motoristas.

Para melhorar esse panorama, o Sest/Senat vem promovendo ações, como cursos gratuitos de qualificação, de graça para colaborar com desenvolvimento de empresas como a de Marco Aurélio Lopes. Dono de uma transportadora há 25 anos, ele conhece bem as dificuldades de se encontrar motoristas capacitados.

“O transporte de cargas aqui não foge da realidade no Brasil inteiro, nós estamos com várias vagas abertas, mas não tem mão-de-obra qualificada para preenchê-las e as empresas não têm muito tempo para qualificá-los, tem que pegar o funcionário pronto”, afirma.

LEIA MAIS  Unidades do Clube da Estrada Repom receberam mais de 135 mil caminhoneiros em 2018

motoristas_incentivoQuem trabalha com o transporte de cargas diz que enfrenta diversas dificuldades. Entre elas, estradas ruins e saudade da família. Por isso, cada vez menos trabalhadores se interessam por dirigir caminhões ou carretas. “A gente viaja bastante e a principal dificuldade é ficar fora de casa, se adaptar a ficar sozinho, porque a solidão é grande”, destaca o motorista Hélio Ribeiro Soares Neto.

Com base em pesquisas, o governo federal descobriu que há uma grande falta de motoristas profissionais no país. Por isso, resolveu criar os cursos de capacitação. Um deles dá ao candidato a primeira habilitação. Outro criado mais recentemente quer preparar 50 mil motoristas para mudar a categoria da carteira de habilitação e, dessa forma, poderem dirigir veículos mais pesados.

O Sest/Senat oferece os cursos de graça, mas para participar os candidatos devem preencher exigências como ter entre 21 e 45 anos e ter renda familiar de até 3 salários mínimos. “A mão-de-obra motorista está escassa no mercado e nós juntamente com o setor estamos buscando resolver esse problema da falta de trabalhadores”, explica a diretora da unidade em Marília, Vitória de Freitas.

LEIA MAIS  ENTREVISTA - Como é ser caminhoneiro nos Estados Unidos?

O Sest/ Senat de Marília fica na Avenida Doutor Durval Menezes, 1901, Núcleo Habitacional Nova Marília. Informações pelo telefone (014) 3401-0202.

Vídeo

Se não carregar o vídeo, veja ele clicando AQUI.

Fonte: TV Tem




22 comentários em “Escassez de motoristas afeta setor de transporte de carga em Marília

  • 24/02/2017 em 14:53
    Permalink

    estou desempregado a mais de um ano mas tenho que fazer curso mop para poder arrumar serviço é de graça no SEST SENAT tudo tem que pagar não tem aonde tirar tanto dinheiro

    Resposta
  • 23/11/2016 em 23:04
    Permalink

    Essa matéria é conversa para boi dormir conheço vários profissionais que 5 em tudo mas tudo certo nome limpo tempo de carteira como pedem estão desesperados para trabalhar país afundou as empresas estão individas o acorda jornalista que fez esta matéria põe sua bunda dentro de um caminhão mesmo sendo passageiro vai ver a realidade esvestigue corra atrás da notícia agora passa o endereço de onde estão precisando aqui em Marília que mando 300 motoristas lá capacitados .

    Resposta
  • 28/10/2016 em 12:10
    Permalink

    Boa tarde!!! A falta de motorista está sendo citada pelas empresas e estão pensando em importar motoristas mas nós estamos aqui prontos para trabalhar a única coisa que está faltando e insentivo do governo com as empresas e a diminuição do valor dos pedágios e combustíveis . E se tem motoristas com restrições e as seguradoras não aprovam é pq a grande maioria tem família e às vezes temos que tomar uma decisão que é mantermos o mone limpo ou pagar as contas básicas e poder comprar os mantimentos necessários . Entao eu digo empresários e empregadores ” nós estamos aqui “falo em nome de todos os irmãos de estrada precisamos tanto quanto vocês precisan de nós só queremos um emprego honesto é justo para ambas as partes. Obrigado.

    Resposta
  • 07/10/2016 em 17:27
    Permalink

    Meu nome Nivaldo cnh E tenho curso do mope seria bronze prata ouro sou solteiro tenho disponibilidade p morar em qualquer lugar do planeta tô desempregado se alguém ler isto interessar pelo meu serviço tenho experiência em carteira com carreta prancha ,sider , baú e carga seca tô muito precisando trabalhar moro em arapongas PR posso mudar p qualquer lugar

    Resposta
  • 26/05/2014 em 17:13
    Permalink

    Ola meu nome o jose carlos sou de tatui sp tenho cnh AE .fui procurar um curso pra fazer de motorista mas e muito caro e na minha regiao nao tem gratuito entrei em contato com a fundacao adolfo em marinque queriao me cobrar 1.700 reais so o curso e um absurto .por favor transportadoras tem muita gente querendo trabalhar na area mas precisa dar uma oportunidade de nos formar na area obrigado…

    Resposta
  • 28/04/2014 em 23:58
    Permalink

    tudo verdade os comentário anteriores. exigem muito pra pouco, nome limpo experiencia coisarada pra que? pra ficar em porta de empresa que não te dão um banheiro decente, pra ficar nos portos desse pais onde não tem estrutura nem uma, pra ficar uma semana nos jbs da vida, onde vc chama a policia pra reclamar e eles querem te prender, onde vc recolhe contribuição para os sindicato e nada fazem, acho que tem motorista de mais. o tem é o bastante, essa empresa que reclamam não são boa coisa, porque empresa boa não falta motorista tem fila aguardando uma vaga, e se tem vaga ela não é grande coisa. porque empresa boa ninguem quer sair fica lá ate se aposentar.

    Resposta
  • 28/04/2014 em 23:05
    Permalink

    Eta “paizinho” duro de se viver. Sempre achei que há empresas e empresários que ainda utilizam o regime “escravocrata” com os motoristas. Claro que há empresas boas, pois nem tudo está perdido. Converso com muitos motoristas e alguns dizem o são obrigados a rodar com pneus carecas, freios ruins, etc, pois o patrão não quer gastar. Na verdade talvez este patrão seja um duro que está se segurando para não cair fora do mercado. Não entendo como ainda tem motorista que trabalha para um cara destes.

    Resposta
  • 28/04/2014 em 22:57
    Permalink

    Cursei Fabet Caminhão escola básica 330 horas de teoria e pratica fiz uma semana de pratica pelas estradas com o caminhão da fabet tenho bom conhecimento pelas estradas do pais bato na porta das empresa nem entrevista fazem dizem que não tenho tempo de carteira que adiantou eu me qualificar se não tenho oportunidade esta reportagem saiu dia 26/04 no g1 deixei o meu telefone e até agora nada então digo tudo balela mentira empresários querendo se aparecer perante a midia CNH A/E mop pancary poso viajar de 30/40 dias fora o que querem mais não bebo não fumo16 997876945

    Resposta
  • 28/04/2014 em 22:33
    Permalink

    sou motorista a 35ano, concordo com tudo que foi dito pelos meus colegas,
    mas ainda vou mais lonje ,,,esta faltando oportunidade para os futuro camioneiro,
    oque esta precisando e treinador mais qualificado, quero dizer, umproficional
    mais erado conhecedor napratica ,que tenha anos de estrada,e nao so dar documento para o futuro camionero,,,,,,para que as enpresas tenha confiança em um iniciante eo que esta precisando,para que saia pronto de verdade ,para o primeiro rejistro emcarteira ,,,,,,au contrario nunca vai dar certo

    Resposta
  • 28/04/2014 em 20:21
    Permalink

    Fabio. Exatamente a mesma opinião tenho do sest-senat. Cabide de emprego, dinheiro mal empregado. E com certeza os cursos tipo mopp, são oferecidos mas em datas estipuladas por eles, assim como a revalidação. Se vc se encontrar com o curso vencido, vai ter que esperar para fazer na data que eles desejarem dar o tal curso. Já que é lei, tornando obrigatório possuir o referido curso, deveria estar em todos CFCs. Isto para citar apenas um exemplo.

    Resposta
  • 28/04/2014 em 19:49
    Permalink

    Opinião do Pedro Trucão (revista Carga Pesada 160 09/03/2012):

    Ele diz que o caminhoneiro precisa se capacitar, mas critica o Sest/Senat. “Virou um cabide de emprego”, define. Para Trucão, a instituição tem pouco interesse em adequar seus cursos aos horários dos caminhoneiros. “É o Sest/Senat que tem de se adaptar e não o contrário”, defende.

    Resposta
  • 28/04/2014 em 19:46
    Permalink

    Os cursos do Sest-Senat sào fraquíssimos, pois paga mal seus instrutores e muitos deles nem carteira para caminhão tem (e os que tem dirigem muito mal). Se a maioria deles não tem como demonstrar na prática a operação de um caminhão ou aspectos práticos nos cursos do Mopp, escolar e outros, que tipo de instrução eles estão fazendo. Os empresários sabem disso e por isso os cursos do Sest-Senat pouco ajudam um candidato a emprego.

    Resposta
  • 28/04/2014 em 18:11
    Permalink

    Claro que falta motoristas , quem é que quer ficar longe de casa sendo humilhado por todos? inclusive por quem vive as nossas custas , ser roubado e torturado por quadrilhas especializadas e ainda ser o primeiro suspeito do crime? não ter natal, ano novo , dia do trabalho, dia santo etc etc etc? e receber por isso no máximo 3 salários mínimos ? acredito que esse caminho é meio sem volta pois um bom profissional demora a estar apto ao trabalho seguro , falta de qualificação para motoristas profissionais resulta em carnificina , essas que temos visto ultimamente nas mídias .

    Resposta
    • 29/04/2014 em 23:09
      Permalink

      isso ai. falou muito bem.
      Qual pai, gostaria deste tipo de realidade para seu filho?

      Resposta
  • 28/04/2014 em 17:03
    Permalink

    aproveitando o espaço que temos aqui, já comentei diversas vezes essa mentirada toda de falta de motorista.. pois bem.
    Aproveito aqui, agora, para falar, que meu visto de entrada na europa, com permissão de trabalhar CHEGOU!!
    Graças a DEUS !! Estou indo, no máximo até agosto, para a EUROPA, para não voltar mais. Irei trabalhar com transportes, e vou validar minha carteira e experiência lá.
    ACABOU! Graças a DEUS, estou INDO EMBORA!
    Chega de engolir mentiras e desculpas. Vou trabalhar pra nações que tem mais responsabilidade com a inteligência alheia.
    Eu não me encaixo no Brasil, pois não aceito receber 2000 reais + 350 de auxílios para ficar 20 dias fora de casa, e ficar me arriscando em uma nação QUE NÃO VALE A PENA!
    Aos que resolveram ficar, boa SORTE!
    Tenho um carrinho pra vender, e as malas pra fazer. Brasil, só como turista!

    Resposta
    • 29/04/2014 em 11:31
      Permalink

      Fico feliz por ti JULIANOW, por conseguir tal feito, mas me diz como foi que tu conseguiu e o que é preciso para conseguir, pois também estou pensando muito nesta hipótese! Valeu e um abraço!

      Resposta
      • 29/04/2014 em 23:08
        Permalink

        Estou indo de início para a Irlanda. Tenho que aprimorar o inglês, mas já poderei trabalhar 25 hrs por semana. Depois de 6 meses, faço a carteira de motorista de lá, mas como tenho experiência em carteira profissional daqui, terei um benefício de obter a carteira para caminhões não articuláveis (equivalente ao “D”). Depois de 1 ano, sem nenhum problema, poderei trabalhar com carreta, depois de fazer um curso. O tempo até eu poder ser um motorista profissional, legalizado na europa dirigindo carretas em toda a U.E. inclusive no inverno, pode chegar a 2 anos, com todos os cursos que são necessários… mas vale a pena, pois os salários lá já dão para se sustentar com razoável tranquilidade. Mas neste meio tempo, há a possibilidade do Canadá. Mas depende do nosso Inglês, ou francês.
        O salário mínimo está girando em torno de 12 Euros/Hora de trabalho. Você trabalha até 14 horas por dia no máximo.
        a idade limite é 42 pra essa função na europa. no canadá, pelo que pesquisei, é 40.

  • 28/04/2014 em 15:57
    Permalink

    Falta e se Deus quiser vai faltar mais . Motorista as empresas não precisa de profissional qualificado .com mas de escravos .pronto falei

    Resposta
  • 28/04/2014 em 14:26
    Permalink

    Se falta motorista,porque estou a quase tres meses sem emprego,tenho carteira E cursos,e experiencia em carretas e também em camihão Romeu e Julieta,uma raridade no mercado,cade as vagas,estou ai na espera,,,,

    Resposta
  • 28/04/2014 em 14:15
    Permalink

    O PROBLEMA É O SALARIO TAMBÉM ,MUITO POUCO PELO QUE FAZEM ,FUI CARRETEIRO 35 ANOS ,MAS TRABALHEI NA ULTIMA EMPRESA MUITO BEM REMUNERADO,SE TODAS FIZESSEM ASSIM , NÃO IRIA FALTAR NÃO

    Resposta
  • 28/04/2014 em 13:52
    Permalink

    Pura bobagem.;Motoristas tem de sobra, o que falta é salário real. Sem falar que fazem toda esta choradeira, para poder importar motoescravos, tambem sem qualificação e conhecimento de nossas estradas, da Bolivia, Colombia, paraguai..E conseguir uma redução nos encargos, mais algumas mamatas do governo com a choradeira. Candidatos habilitados tem sobrando, basta ver aqui mesmo neste site. Porem não dão a oportunidade, não querem treinar o candidato. Preferem ficar tentando tirar motoristas de outras transportadoras, sendo assim uma constante troca de funcionários. Todos brigando por melhorias nos ganhos. Sest_senast é uma piada, treinam, mas não garantem uma colocação aos aprovados. E já que alegam tanta falta, por que não aproveitar os aprovados no cursos dos sest-senast. A não ser que empresas achem que o treinamento destes é sem qualidade, não preparando de fato o candidato as vagas. Não duvido nada, pois Brasil é cabide de empregos este tipo de organismo.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!