Motoristas se arriscam para fugir de cobrança do pedágio nas estradas

furando pedagios




Os acidentes nas rodovias federais no Brasil causam praticamente o mesmo número de mortes do que na guerra civil no Iraque e a imprudência ainda é a maior causa dos acidentes. Flagrantes mostram como motoristas se arriscam na estrada, numa tentativa de não pagar o pedágio.

Num dos pedágios do Rodoanel, um anel viário que interliga sete rodovias paulistas, 167,5 mil carros furaram os pedágios no ano passado. Dá quase 20 carros por hora.

Os carros que usam o sistema de cobrança automática têm um sensor. Eles têm que respeitar o limite de velocidade de 40 km/h perto do pedágio. O pedágio identifica o carro e faz a cobrança. Só que tem muito motorista que acelera em vez de reduzir e passa direto. Fora o risco de andar rápido no local, o que prejudica é a tentativa de enganar o sistema.

Quando uma tentativa de fraude acontece no sistema de cobrança automática, o pedágio identifica o carro e faz a cobrança. Ao ser barrado, o fiscal de pista levanta a cancela e pede para o motorista encostar para verificar porque o sensor não funcionou.

LEIA MAIS  Diretor-geral da ANTT é alvo de mandado de busca em operação da PF

Mas, tem motorista que não obedece o fiscal. Passa pela cancela, não encosta e simplesmente, vai embora. Tem os que freiam em cima, os que conseguem parar, mas, se o fiscal demora, empurram a cancela e vão embora.

Quem fura o pedágio, pode não pagar, mas a conta vai chegar e a esperteza sai cara para o motorista. Todos os veículos são gravados na entrada e na saída das cabines e as imagens são usadas para multar.

Nem todos os motoristas fazem de propósito. Alguns se esquecem que não tem o sensor da cobrança automática e param para pagar no meio da pista. Caminhões barrados mesmo com o sensor no vidro param para ver o que aconteceu. Os fiscais da pista também anotam as placas. As câmeras registram tudo.

“Muitos não tem a noção de serem observados. Eles fazem pelo intuito simplesmente de não pagar ou às vezes desavisados. Mas essa passagem pela praça de pedágio sem pagamento ela traz essas consequências: a multa e o risco de segurança”, explica o diretor de operações da Artesp, Giovanni Pengue Filho.

LEIA MAIS  Caminhoneiros miram agronegócio após recuo da Petrobras no diesel

Nas estradas do Brasil inteiro, as cenas são comuns. Em muitas praças de pedágio acontecem acidentes. Na tentativa de levar uma vantagem, o motorista não respeita a velocidade e põe em risco todo mundo.

No Brasil, o pedágio apareceu pela primeira vez com o nome de taxa pública na constituição de 1946 e autorizava que os estados cobrassem dos motoristas valores para diminuir os custos de construção, manutenção e melhoria de estradas.

Em 2012, quase 880 mil motoristas passaram pelos pedágios de São Paulo sem pagar. No ano passado foram 1,475 milhão veículos tentaram fugir da cobrança. Quem tentou fazer isso foi multado. A infração é considerada grave. A multa é de R$ 127,69 e o motorista leva cinco pontos na carteira.

Vídeo

Caso o vídeo não carregue, assista ele clicando AQUI.

Fonte: Jornal Hoje




Deixe sua opinião sobre o assunto!