Queda nas vendas de caminhões no RS diminui carga horária em fábricas

RANDON_Graneleiro_Linha_R




A recente redução da venda de caminhões no estado fez com que fábricas com unidades no Rio Grande do Sul fizessem acordos com os trabalhadores para redução de carga horária de trabalho. De acordo com o Sindicato das Concessionárias e Distribuidores de Veículos (Sincodiv), as vendas caíram 19% de janeiro a março de 2014 em comparação com o ano passado. Se comparado apenas o mês de março, as quedas chegam a 30%.

No Rio Grande do Sul, as fábricas da Randon e Guerra utilizaram os acordos com trabalhadores como estratégia de acompanhar o mercado.

A Randon, empresa que fornece reboques e peças para carrocerias, afirmou que está se adequando ao ritmo do mercado e acompanhando as mudanças. Por este motivo, as férias foram programadas antecipadamente com os funcionários. A empresa não informou quantos trabalhadores foram dispensados temporariamente, mas disse que o processo acontecerá por tempo indeterminado até o mercado reagir.

LEIA MAIS  Randon firma parceria com Triel-HT na área de implementos rodoviários

A Guerra informou que optou por uma flexibilização de jornada de trabalho com 1,1 mil pessoas dos 1,8 mil que compõe a equipe de produção, que foi aprovada a partir de votação realizada com as equipes de produção. Desde o mês de março, os trabalhadores tiveram retirados cinco dias de trabalho da jornada habitual que poderão ser utilizados em momentos de maior produtividade da fábrica. Segundo a empresa, não houve demissões e não serão feitos descontos ou reduções salariais referentes aos dias não trabalhados. O impacto da flexibilização leva a uma redução de 25% na média de produção.

LEIA MAIS  Randon firma parceria com Triel-HT na área de implementos rodoviários

Segundo o Sincodiv, o atraso na renovação do Programa de Sustentação de Investimento (PSI) do BNDES, retardou a aprovação dos pedidos de financiamentos acumulados desde dezembro de 2013. O sindicato espera que a renovação do programa, que aconteceu no dia 1º de abril, aumente a compra de veículos. Outro fator destacado pela instituição é a divulgação de safra recorde no Rio Grande do Sul, o que aumenta a necessidade de tansporte para escoamento da produção.

Fonte: RBS TV




Deixe sua opinião sobre o assunto!