MAN comemora 90 anos do caminhão movido a diesel

Caminhão MAN 1924 - Primeiro caminhão Diesel do Mundo-Direkteinspritzer_1924_1024




Em 12 de março de 1924, dois engenheiros da MAN, Sturm e Wiebicke, partiam da fábrica em Augsburg rumo a Nuremberg em um caminhão Saurer. O modelo para quatro toneladas estava equipado por um motor diesel experimental que, pela primeira vez, tinha o combustível injetado diretamente para os quatro cilindros.

Com cerca de 40 HP, ele permitiu que os pilotos de testes completassem uma viagem de 140 quilômetros em cinco horas e meia. O percurso mostrou a viabilidade do emprego do diesel em um propulsor com tamanho reduzido o suficiente para a aplicação em um veículo de carga relativamente pequeno.

“O primeiro MAN com injeção direta de diesel representa um marco na tecnologia de motores. Ainda é possível ver seu impacto hoje: cada motor diesel moderno, seja para carro ou caminhão, usa o princípio da injeção direta. Sua última encarnação é o sistema common-rail”, diz Bernd Maierhofer, membro do conselho de pesquisa e desenvolvimento da MAN Truck&Bus.

A solução

Rudolf Diesel patenteou o primeiro motor a diesel em 1897. Contudo, até meados de 1920, os motores a diesel eram usados em regra como unidades estacionárias em fábricas ou para movimentar navios, por causa de seu tamanho e peso. Os primeiros caminhões Saurer e ônibus MAN utilizavam motores a gasolina. Estes precisavam de um grande pesado compressor a fim de forçar o combustível para dentro dos cilindros do motor.

Entre 1919 e 1923, a MAN trabalhou no desenvolvimento de motores a diesel para utilização em veículos. As duas grandes questões técnicas a resolver eram a redução do tamanho do motor e a dispensa do compressor. A injeção de combustível sem injeção de ar foi o pulo do gato, o passo à frente.

Num motor a diesel, o ar é comprimido em até 20 atmosferas ou 20 bars no interior do cilindro pelo movimento ascendente do pistão, o que faz com que ele se aqueça intensamente. O combustível então é injetado. A combinação da fina atomização do combustível pelos bicos e a elevada temperatura do ar faz com que a mistura se inflame.

A injeção do combustível para dentro do cilindro em um ambiente de alta pressão só poderia ser conseguida pela utilização de uma bomba injetora mecânica a fim de forçá-lo para os bicos injetores. Estes atomizam o combustível em gotículas minúsculas, aumentando assim a sua capacidade de combustão. Foi necessário um elevado grau de precisão para construir essa bomba injetora, fabricada pela própria MAN.

Três propulsores experimentais foram construídos em Augsburg em 1924 e testados com sucesso em um caminhão e um arado motorizado. Esses primeiros motores a diesel com injeção direta forneciam entre 35 e 40 HP girando a mil rotações por minuto e pesavam cerca de 420 quilos.

Salão de Berlim de 1924

No primeiro semestre daquele ano, o caminhão de teste cobriu 2,5 mil quilômetros antes de a MAN apresentar sua inovação no Salão do Automóvel de Berlim, que ocorreu em dezembro de 1924. O engenheiro Sturm insistiu em dirigir ele mesmo o caminhão ao centro de exposições de Berlim. A viagem com partida em Nuremberg levou dois dias. Não houve falhas no caminho, além de algumas válvulas sujas. “Foi completada satisfatoriamente”, escreveu Sturm em um telegrama aos companheiros da MAN em Augsburg, assim que chegou a Berlim.

Todos os jornalistas ficaram impressionados durante a feira automotiva. A revista da Associação Engenheiros Alemães emitiu o veredicto: “Em todo o campo de motores de veículos pesados e assuntos relacionados a combustíveis, o motor diesel sem compressor da MAN é a inovação mais significativa da exposição.” O motor mostrado no salão de 1924 pode ser visto no Museu Alemão, em Munique.

Primeiro comprador

Após o sucesso em Berlim, o caminho estava aberto para a produção em série do novo motor D 1580 diesel, que equiparia os veículos comerciais da MAN. O primeiro cliente a levar um caminhão MAN diesel foi a cervejaria “zum Hasen”, em Augsburg. Segundo a MAN, teria operado por décadas sem grandes problemas.

Dois argumentos de venda eram claros desde o início: o baixo peso do veículo e a enorme redução de 80% dos custos operacionais em comparação com os motores convencionais a gasolina da época. A demanda na divisão de caminhões aumentou de tal forma na metade da década de 1920 que toda a produção de motores a diesel para veículos comerciais foi transferida para a planta Nuremberg, ampliada por este motivo.

Fonte: Portal Automotive Business





Um comentário em “MAN comemora 90 anos do caminhão movido a diesel

  • 24/05/2014 em 14:54
    Permalink

    Agora é hora de pensar em outro tipo de energia para mover os caminhões.

Fechado para comentários.