Mercedes-Benz amplia cortes na produção

linha de montagem actros - mercedes-benz juiz de fora




Além de suspender um dos dois turnos de trabalho no setor de caminhões em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, a Mercedes-Benz adotou o esquema de semana curta, com um dia a menos de produção. A medida atinge tanto a linha de chassis de ônibus, também no ABC, como a fábrica de caminhões extrapesados em Juiz de Fora, em Minas Gerais. Na unidade mineira, a mudança na jornada acontece logo após os trabalhadores voltarem, na segunda-feira, de período de três semanas de férias coletivas.

Também desde segunda-feira a linha de caminhões no parque industrial da Mercedes em São Bernardo opera com apenas um turno de trabalho. Cerca de 700 operários receberam licença remunerada por tempo indeterminado, enquanto outros aderiram a um programa de demissões voluntárias realizado até a semana passada. O excesso de mão de obra na fábrica da montadora no ABC é estimado em cerca de 2 mil funcionários.

Os novos cortes da Mercedes são apenas mais um de uma série de ajustes que vêm sendo anunciados pelas montadoras para equilibrar a produção ao quadro de queda no consumo doméstico, avanço dos estoques e forte redução nas exportações para a Argentina.

Só no ABC, a Scania concedeu, na segunda-feira, duas semanas de férias coletivas, enquanto a General Motors (GM) tem mais duas paradas programadas para as próximas sexta e segunda-feira em São Caetano do Sul. Na segunda-feira, será a vez de a Volkswagen afastar, por cinco meses, 790 operários no complexo industrial de São Bernardo – número que ficou abaixo dos 900 trabalhadores inicialmente estimados pelo sindicato dos metalúrgicos da região.

Nos quatro primeiros meses do ano, vendas e produção de veículos no Brasil caíram 5% e 12% respectivamente. Em igual período, houve queda de 32% no volume exportado pelas montadoras.

No dia 13, a crise automobilística voltou a ser discutida em reuniões do governo com a Anfavea, entidade que representa a indústria nacional de veículos. A primeira audiência aconteceu pela manhã entre o presidente da associação, Luiz Moan, e o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Paulo Rogério Caffarelli, para discutir medidas de estímulo ao crédito. Depois disso, às 15h30, Moan se dirigiu ao Ministério do Desenvolvimento para uma audiência com o ministro Mauro Borges, na qual a pauta foi o comércio com a Argentina.

Estão em estudo soluções para reduzir o risco das operações de financiamento a automóveis, como a estruturação de um fundo de cobertura dos calotes nesses empréstimos e novas regras para facilitar a retomada dos carros de inadimplentes. A ideia é melhorar o apetite dos bancos no segmento automotivo.

Ao mesmo tempo, o Brasil busca se entender com a Argentina para destravar o fluxo do comércio bilateral, tendo como principal proposta a criação de novos mecanismos de financiamento das importações no país vizinho.

As contrapartidas colocadas pela Argentina, como incluir no acordo metas de integração produtiva para forçar maior consumo de suas peças e veículos no parceiro do Mercosul, encontra, porém, resistência em algumas montadoras brasileiras, que querem liberdade para comprar matérias-primas de outros mercados fornecedores.

Fora isso, há dúvidas sobre a eficácia das medidas de incentivo ao crédito, já que os consumidores, segundo pesquisas, estão menos propensos a comprar carros novos, em virtude do comprometimento da renda com dívidas assumidas nos últimos anos.

Fonte: Valor Econômico





2 comentários em “Mercedes-Benz amplia cortes na produção

  • 17/05/2014 em 11:23
    Permalink

    o mercado está sentindo: o comércio está parando. novamente, só ficaremos com o agro-negócio. Tem muito caminhão..
    não é querer ser pessimista.. mas até o final de 2015, o negócio vai apertar.. e muito!

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!