Motoristas serão obrigados a fazer exame toxicológico

ECONOMIA - BRUMADINHO - MG: .Representantes do Inhotim e empresarios da regiao de Brumadinho apresentam plano para desenvolvimento da regiao na Camara Municipal de Brumadinho..FOTOS: PEDRO GONTIJO / O TEMPO  10.12.2013




A partir de 1° de julho, começa a valer em todo o país a resolução 460 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que obriga motoristas de ônibus, caminhões e carretas (com Carteira Nacional de Habilitação das categorias C, D e E) a realizarem exame toxicológico para mudar de categoria, tirar ou renovar a CNH. O assunto foi discutido nessa quarta em audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, onde surgiram defensores de que a norma se estenda a todos os outros condutores, profissionais ou não.

A intenção da norma é oferecer mais segurança ao transporte de pessoas e cargas, barrando o uso de 12 substâncias, como maconha, crack, cocaína e o rebite, muito usado por caminhoneiros para enfrentar longas horas de trabalho. O exame, feito por fio de cabelo, pele ou unha, pode detectar substâncias consumidas há até 90 dias. O custo, que será pago pelo motorista, é de cerca de R$ 350.

Ainda não há uma posição do Contran sobre a ampliação da norma aos demais motoristas, das categorias A e B, mas representantes de entidades ligadas ao trânsito defendem a medida. É o caso do presidente da Associação de Clínicas de Trânsito de Minas, João Pimentel, que alerta ainda para os efeitos nocivos das drogas. “A intenção do Contran é estender a norma no futuro. A maconha causa diminuição das respostas do motorista, já a cocaína e as anfetaminas deixam a pessoa mais vidrada, com muitos reflexos, e pode gerar imprudência”.

Para Domingos Lage, médico especialista em tráfego e funcionário de uma clínica credenciada do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), qualquer motorista deveria se submeter ao exame. “A medida deveria ter sido criada há mais tempo. A droga, especialmente o crack, é um problema para toda a sociedade”.

O presidente do Sindicato dos Proprietário de Centro de Formação de Condutores de Minas, Rodrigo Fabiano da Silva, reforça o coro. “Tudo o que vier para beneficiar o controle dos condutores é válido. Mas desde que seja feito de forma criteriosa, transparente, e não com interesse arrecadatório”.

Já os motoristas reclamam dos custos. “Segurança no trânsito é legal, mas por que vamos pagar a conta?”, reclamou a professora Anita Bernardes, 45. O custo para tirar carteira na capital gira em torno de R$ 1.500. O taxista Gustavo Mendes, 34, disse que a lei seria boa se não houvesse o custo. “É mais uma lei para tirar o dinheiro do trabalhador”.

Punição

Segundo o presidente da Associação de Clínicas de Trânsito de Minas Gerais, João Pimentel, o motorista flagrado no teste toxicológico ficará 90 dias sem ter direito de exercer a profissão.

Audiência

A audiência na Assembleia discutiu a resolução a pedido da Associação de Clínicas de Trânsito de Minas. Seu presidente, João Pimentel, defende adaptações e mais discussão. Uma de suas preocupações é com os autônomos. “Se forem pegos, o INSS vai arcar com o sustento deles?”, indaga.

Outra sugestão é que o exame seja, inicialmente, aleatório – não para todos – para evitar que os motoristas burlem a prova parando de usar drogas 90 dias antes.

Repercussão

Para o deputado Hugo Leal (PROS), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, antes de estender a medida para os demais motoristas, é preciso avaliar a repercussão da norma nas categorias C, D e E para depois pensar em ampliação. “Pode ser possível, mas o principal é a aplicação para motoristas que exercem atividades remuneradas, que precisam de processos mais rígidos.”

Clínica

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) tem até 30 de junho para enviar aos Estados a lista de clínicas que estariam aptas a realizar o exame, o que ainda não aconteceu em Minas.Infografico

Sindicato defende educação, não punição

O presidente do Sindicato dos Rodoviários da Capital e da Região Metropolitana de Belo Horizonte, Ronaldo Batista, defende a preocupação com o uso de drogas, mas cobra uma ação para proteger a saúde dos profissionais, não para puni-los. “Estudo do Ministério Público do Trabalho no Mato Grosso comprovou que 30% dos caminhoneiros dirigem sob efeito de cocaína. Isso é um problema de saúde pública. Muitos, para aguentar a jornada de trabalho, acabam usando algum tipo de droga. Acaba com a saúde”.

O motorista de cegonheira Leonardo Gustavo, 37, reclama do custo. “Aperta o orçamento e não vai evitar o uso de drogas, porque a renovação é feita a cada cinco anos. O motorista fica um tempo sem usar e faz o exame”.

Um caminhoneiro de 43 anos que pediu anonimato acredita que a lei é boa e ruim ao mesmo tempo. “É caro, mas vai melhorar a situação dos caminhoneiros”. Para ele, na estrada há 20 anos, as empresas serão obrigadas a reduzir a carga horária de trabalho, já que não é possível cumprir os turnos sem usar rebite. “Dependendo da carga, no caso de frutas, não podemos parar”.

Fonte: O Tempo

 

RECEBA NOSSOS CONTEÚDOS NO E-MAIL





Seu e-mail (obrigatório)






10 comentários em “Motoristas serão obrigados a fazer exame toxicológico

  • 27/05/2014 em 11:37
    Permalink

    concordo com o ANDRADE! Por que o governo não prepara a polícia, junto com pessoal especializado, para fazerem testes aleatórios nas rodovias!!! pegaria os infratores com as calças na mão!

    Resposta
  • 23/05/2014 em 12:49
    Permalink

    teste a cada cinco anos ? vai adiantar o que ? kkkkkkkkkkkk…piada.

    Resposta
  • 22/05/2014 em 19:03
    Permalink

    Aos drogados IRRESPONSÁVEIS, seus dias estão contados… Vão tudo pra rua e ainda por justa causa, sem direito a um tostão e não vai conseguir arrumar outro emprego de imediato… Vai ter que se tratar pelo SUS primeiro. Os testes de droga conseguem pegar TODOS os tipos de drogas, e se o uso ocorreu em até 6 meses. ou seja em pouco tempo as empresas vão se limpar destes desgraçados e ou autônomos drogados, estes irão se ferrar na renovação da carteira. CHEGA DE NOIA NAS ESTRADAS. Cxxx

    Resposta
  • 22/05/2014 em 18:57
    Permalink

    Aos drogados IRRESPONSÁVEIS, seus dias estão contados… Vão tudo pra rua e ainda por justa causa, sem direito a um tostão e não vai conseguir arrumar outro emprego de imediato… Vai ter que se tratar pelo SUS primeiro. Os testes de droga conseguem pegar TODOS os tipos de drogas, e se o uso ocorreu em até 6 meses. ou seja em pouco tempo as empresas vão se limpar destes desgraçados e ou autônomos drogados, estes irão se ferrar na renovação da carteira. CHEGA DE NOIA NAS ESTRADAS.

    Resposta
  • 22/05/2014 em 17:33
    Permalink

    Boa tarde!todo povo brasileiro depende do caminhaõ e do motorista mas ninguem quer ter um perto,por que ele é drogado ,mal educado, sujo ,bebado,etc, etc.
    Mas sera que os motoristas da catgoria A e B não usao droga,bebidas alcoolica e cometem serios ascidentes é por isso que eles estaõ fora de fazer o exame?

    Resposta
  • 22/05/2014 em 16:22
    Permalink

    Perfeito Leo. Essas pesquisas não estão corretas. Houve algum engano da imprensa, com certeza.

    Resposta
  • 22/05/2014 em 15:15
    Permalink

    E os caminhoneiros que vão pagar pelo exame?
    Em São Paulo estão falando que esse exame custa no mínimo 1.000,00 reais.
    Quais as substâncias que não pode consumir? Alguém pode me informar?

    Resposta
  • 22/05/2014 em 14:03
    Permalink

    como eu trabalho com alinhamento de caminhoes, carretas, bitrens e balanceamento de rodas de caminhoes,em pirassununga -sp km 207

    Resposta
  • 22/05/2014 em 12:32
    Permalink

    Ministério Público do Trabalho no Mato Grosso comprovou que 30% dos caminhoneiros dirigem sob efeito de cocaína……..
    Pelo visto no Mato Grosso, só se contrata em bocas de fumo. Sinceramente estas pesquisas são de fato enganosas. Saiu uma estes dias dizendo que 33 % dos motoristas de caminhão , são usuários de cocaína e outras drogas sintéticas.. O que da cerca de 810 mil caminhoneiros. Todos selecionados no RH do PCC.

    Resposta
  • 22/05/2014 em 12:27
    Permalink

    Político é tudo sem vergonha, mal intencionado e ladrão. Vejam só o que decidem este bando de merdas….
    . O custo, que será pago pelo motorista, é de cerca de R$ 350.

    Sobrou mais uma vz para o trabalhador..

    Vamos exigir exames anti-drogas para todos políticos tb.. Não fica um, pois todos são uma droga existente neste país.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!