PDV da Mercedes-Benz tem 1,1 mil adesões

Patio Mercedes-Benz




Segundo levantamento feito pelo sindicato dos metalúrgicos do ABC paulista, 1,1 mil operários deixaram a fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo no programa de demissões voluntárias (PDV) lançado pela montadora. O objetivo era reduzir um excesso de mão de obra estimado em 2 mil trabalhadores pela própria empresa. A montadora não comenta as adesões ao programa.

Além dos funcionários que aderiram ao PDV, 1,2 mil operários serão, a partir de terça-feira, afastados por até cinco meses da produção na fábrica paulista. O grupo inclui cerca de 700 trabalhadores que já estavam em licença remunerada desde 12 de maio, quando a Mercedes suspendeu um dos dois turnos da produção de caminhões.

Esse afastamento será feito em regime de “layoff”, no qual os metalúrgicos têm parte do salário bancado por recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Também passam por qualificação profissional enquanto estiverem afastados da fábrica.

Fonte: Valor Econômico





Deixe sua opinião sobre o assunto!