Senado aprova flexibilização do descanso para motoristas profissionais

Caminhões à noite - Lei do Descanso




O Plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (3) o projeto que flexibiliza o descanso obrigatório dos motoristas profissionais. O PLC 41/2014 altera a Lei 12.619/2012 para aumentar o tempo permitido de direção contínua, ou seja, sem intervalos de descanso. Já a jornada máxima de trabalho, que pelo projeto original poderia chegar a 12 horas, foi mantida em 10 horas, após acordo entre os senadores.

De acordo com o texto, a jornada diária do motorista profissional continua a ser de oito horas, com possibilidade de duas horas extras, totalizando o máximo de dez horas. O texto da Câmara permitia a extensão das horas extras, se decidido em convenção ou acordo coletivo, o que poderia levar a jornada a 12 horas.

Já o tempo de direção contínua, sem intervalos, ficou como no texto enviado pela Câmara. A cada seis horas no volante, o motorista deverá descansar 30 minutos, mas esse tempo poderá ser fracionado, assim como o de direção, desde que o tempo dirigindo seja limitado ao máximo de 5,5 horas contínuas. Atualmente, o tempo máximo de direção é de 4 horas contínuas.

A ampliação do tempo tolerado de direção contínua foi duramente criticada pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR). Segundo ele, estudo de pesquisador da Universidade Estadual Paulista (Unesp) concluiu que o risco de acidentes triplica com o aumento do tempo ininterrupto de direção de 4 horas para 5,5 horas. O senador também afirmou que a sonolência ao volante causa 22 mortes por dia no país.

Para Requião, a mudança “legitima o genocídio” nas estradas, faz dos motoristas potenciais suicidas e homicidas e mantém a sociedade refém de um trânsito inseguro. Para ele, a questão econômica não pode se sobrepor às vidas das pessoas. “É claro que os pequenos empresários estão com problema de custo, mas esse problema de custo não pode ser resolvido à custa do sacrifício do trabalho do motorista. Que se resolva o problema de custo com diminuição de impostos, com diminuição do preço do combustível, mas não com a escravização do trabalho nas estradas” afirmou.

Responsabilidade

O senador Jayme Campos (DEM-MT) discordou de Requião e ressaltou que um estudo não vale mais que a experiência dos motoristas. Aplaudido por representantes da categoria, que estavam nas galerias, Jayme disse considerar que o maior responsável pelos acidentes não é a sonolência, mas as más condições das estradas.

“O motorista tem responsabilidade suficiente para saber se ele aguenta dirigir por cinco horas, seis horas, sete horas. Estabelecer duas horas de relógio após o almoço para descansar, nenhum motorista no Brasil quer, salvo os preguiçosos, os suga-sangues.

Os senadores Paulo Paim (PT-RS) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) sugeriram mudança no texto para que a extensão do tempo de direção ininterrupto dependesse de acordo ou convenção coletiva. Com isso, o tempo ficaria em 4 horas, como estabelece a lei atual, mas com a possibilidade de extensão até as 5,5 horas previstas no projeto. A sugestão, no entanto, não foi aprovada.

O atual descanso obrigatório diário, de 11 horas a cada 24 horas, poderá ser fracionado, usufruído no veículo e coincidir com os intervalos de 30 minutos. O primeiro período, entretanto, deverá ser de 8 horas contínuas. A lei atual prevê pelo menos 9 horas contínuas de descanso.

Avanço

O relator da proposta, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que o texto da Câmara já representava um avanço em relação à legislação atual e avaliou que as mudanças feitas no Senado garantiam novas melhoras, como a manutenção da jornada diária em oito horas mais duras horas extras e alterações em outros procedimentos.

“Esse projeto de lei cria o seguro para os motoristas. Esse projeto de lei cria os procedimentos necessários para o teste toxicológico na renovação da carteira, que é importante. Esse projeto cria mecanismo de tratamento para aquele motorista que tem problema com drogas, esse projeto tem uma série de avanços” argumentou.

Outros senadores, como Lídice da Mata (PSB-BA) e Paulo Paim (PT-RS), ressaltaram que, como o projeto retorna para a Câmara dos Deputados, ainda poderá ser aperfeiçoado.

Pedágio e exame toxicológico

O relator resolveu suprimir do texto isenções de pedágio previstas no texto da Câmara. Para ele, o benefício concedido geraria mudanças em contratos e seria revertido em cobrança extra para os demais motoristas.

“Pedágio que não se cobra de alguém vai se cobrar dobrado de outro alguém, que, no caso, seriam os veículos de passageiros, que teriam que pagar mais caro. O contrato de concessão que determina um resultado financeiro, então, é melhor não mexer” disse Jucá.

Outro ponto alterado pelo relator foi a fixação da janela de detecção do exame toxicológico em 90 dias. Pelo texto aprovado na Câmara, esses exames, feitos na admissão do motorista e na renovação da carteira de habilitação, teriam que ter a janela mínima de 90 dias. A palavra “mínima”, segundo Jucá, foi retirada do texto porque apenas um laboratório no Brasil faz exames com a janela de detecção superior a esse tempo.

Fonte: Agência Senado




44 comentários em “Senado aprova flexibilização do descanso para motoristas profissionais

  • 23/06/2014 em 18:07
    Permalink

    pois e sr: jaime campos mediga o k vsa. sria. entende de transporte ou de caminhao? pensa que motorista sao igual os coitados dos peoes que o sr: tem em suas fazendas? o sr. perdeu uma grande oportunidade de ficar calado,ja que nao faz bosta nenhuma pelo estado que o elegeu. agora quer posar de coronel dotransportes tambem. demais a mais se na nossa classe existe preguisçoso e sangue-suga? na sua esta repleto de ladrao o que nao e o nosso caso,ate porque para carregarmos qualquer porcaria exigue-se de nos o impossivel, tipo pancary buoni etc etc etc. por acaso o sr:sabe o que e isso? nao ne. entao va procurar uma lavagem de roupa…

  • 08/06/2014 em 09:51
    Permalink

    todos falam de hora de descanso e essas baboseiras todas e se esquecem do principal que é o valor do ¨ frete¨ e esses vagabundos ladroes que cobra eixo suspenso e ninguem fala nada,e tem que acabar com esse negocio de frete retorno onde já se viu trabalhar em troco de combustivel e tem idiotas que não fazem as contas e carregam carga de retorno por menos de ametade que foi, tem que acabar com isso,temos que brigar por valor de frete por km rodado não importa se estamos indo ou voltando,pensem nisso

  • 06/06/2014 em 23:40
    Permalink

    ao sindicalista que postou a bonita mensagem, só uma pergunta, seja 08 horas parado 11 horas parado o que for, me fala ai alguém brigou para se construir pontos de parada especifico para caminhão?, infelizmente essa lei do jeito que está, é só para aumentar a arrecadação de imposto para pagar as despesas da copa. Triste realidade, e agora uns acham bom outros acham ruim, que pena nós brigamos por causa de uns almofadinhas que pensam que sabem de transporte. Já que você quer fazer a diferença vai ai umas dicas, 01-pontos de parada somente para caminhão, 02-diminuir os encargos de combustível e folha de pagamento, 03-voltar a não cobrar eixo suspenso e 04-(esse é o mais importante)que os sindicatos tomem vergonha e todos pensem e defendam uma só linha de raciocínio, porque do jeito que esta cada um defende aquilo que é melhor para si, e que Deus nos ajude!!!

  • 06/06/2014 em 20:45
    Permalink

    pura bucha Sr Requiao

  • 06/06/2014 em 09:39
    Permalink

    á melhor coisa para resolver tudo o que ja foi dito,é se unir e parar,os motoristas de ônibus já pararam todos,só falta nós.

  • 05/06/2014 em 20:41
    Permalink

    Ja fiz greve pra melhorias. Ao parar outros rodavam pq tinham contas a pagar. Tenho cnh categoria AE, com registro d atividade remunerada e possuo 20 pontos. Rodo norte a sul, tm outros q nunca sairam da cidade onde morram, e mal sabem dirigir, mas possui os mesmos 20 pontos. Eu vou ser obrigado a fazer testes q axo injusto… pois akele q possui os msm 20 pontos como os meus e nao depende deles pra trabalho, nao precisa fazer esses testes. Mas come comentário anterior, muitas vezes ele eh o causador d um acidente por falta instrucoes e prelaticas de estrada, excesso de velocidade e desatenção. Fui tachado d irresponsavel por causa d uma imprudencia d outro, mas por ser motorista d caminhao, sou responsavel pelos indispensáveis. A estrada sta pra todos, mas soh os camioneiros que usamos a estrada aos olhos desses politicos e fiscais de rodovias.

  • 05/06/2014 em 13:17
    Permalink

    Pessoal nós estamos apenas discordando uns dos outros, criticando a opinião dos outros. Essa lei é boa para alguns para outros nem tanto, repito como no meu comentário anterior, sou assalariado inclusive não ganho o salário do SINDICATO, ganho menos, mas nem por isso gostaria de ter que passar muito tempo parado num posto. Eu acho que 8 horas de descanso é suficiente, quanto à questão de drogas, nunca usei, não tenho vontade, nem necessidade de usar, nem arrebite nunca tomei pois meu percurso é apenas 160 km pra ir e 160 km pra voltar. Sinceramente vocês acham que quem usa droga vai deixar de usar pq tá “descansado, dormiu muito”, pelo amor de Deus.Vamos brigar por melhores salários, melhores estradas, um tempo de descanso justo para todos assalariados e autônomos, não uns contra os outros e sim unidos em prol de condições melhores.

  • 05/06/2014 em 11:06
    Permalink

    Acho que a Lei está ótima. A começar pelo exame toxicológico para renovar ou contratar. Estão todos achando ruim pq mexe no bolso, mas sabemos que quantos aqui faz uso de drogas para poder aguentar um pouco mais, quantos aqui realmente param quando bate aquela cansaço? “Sabemos qdo tem q parar” mentira! Eu preso pela minha vida e já me livrei de muito acidente por causa de motorista irresponsável. A Lei tá lá p nos proteger e proteger a outros motoristas. O seu bolso não pode valer mais q a vida de outra pessoa. Certeza que quem acha ruim aqui é autônomo ou comicionado. Tão achando ruim de descansar, de ver a família, os amigos! Briguem por melhores estradas, segurança, menos impostos na categoria, mas vivam, descansem, se divirtam, a vida não é só dinheiro!

  • 05/06/2014 em 09:59
    Permalink

    o cenário atual é de pessoas que não sabem nada do transporte estão criando, alterando e cobrando leis. Para discutir a lei dos motoristas, pessoas que tenham profundo conhecimento, devem sentar e discutir. O que fizeram agora, foi piorar a situação. Na minha opinião deveria continuar as 4 horas de rodagem e ter a parada de 30 minutos e estender para até 12 horas de rodagem, as demais regras poderiam ficar como estão.

  • 05/06/2014 em 08:46
    Permalink

    LAG, 4 horas extras seria uma boa margem de trabalho extra. Quem tem interesse e condiçoes, poderia trabalhar mais 4 horas acima do normal. Quem não tem, então, trabalha 2 horas ou somente as 8 horas normais. Se o patrão forçar a situação, procure outro ou recicle-se e mude de profissão.

    Quanto aos 10% para peso por eixo, ficou bom.

    Direito de estadia é bom, mas é “coisa pra inglês ver”. Poucos conseguem comprovar o tempo excedido por lei. Quando você puder comprovar, terá de brigar com embarcador ou o desembarcador, e perderá o cliente.

    O piso salarial mínimo REGISTRADO em carteira para o motorista PROFISSIONAL deveria ser de no mínimo R$2500,00 a R$3000,00, e adicional de produtividade à vontade.

    Agora, o mais importante: APOSENTADORIA ESPECIAL DE 25 ANOS PARA O MOTORISTA PROFISSIONAL. Cadê os políticos? os sindicatos dos motoristas? manifestações dos motoristas? Ninguem fala nada.

  • 05/06/2014 em 07:48
    Permalink

    Everaldo, agora quanto ao piso salarial dos motoristas, isso já existe a muito tempo e está nas convenções coletivas aprovadas POR VCS SINDICALISTAS. Tínhamos uma chance de melhora expressiva no salário com a aprovação do direito a 4 horas extras diárias, mais VCS CAGARAM NISSO TAMBÉM. Esse valor seria no mínimo R$500 a mais por mês. Não iremos poder rodar, então ficaremos na beira da estrada sem ganhar NADA.

  • 05/06/2014 em 07:40
    Permalink

    Sr. Everaldo, o Sr. Está muito desenformado pra quem esteve em Brasília. quanto ao que foi aprovado pelo senado: 1) o peso entre eixos não foi aprovado, houve uma emenda (emenda 12) rejeitando esse pedido, mais isso já está sendo resolvido pelo CONTRAN, mais não pelo senado. 2) qto ao direito a estadia, essa lei já existe, e ira ficar tudo como era antes, ou seja, ninguém ira receber NADA, pois o artigo que ajustaria isso também teve uma emenda rejeitando (emenda 11). 3) o seguro de vida será de 10 salários (emenda 2) e não 20 conf. O sr. Informa. 4) quanto a hora extra o projeto aprovado não mudará em nada, pois os motoristas desde a lei anterior já tinham o direito as horas extras (máximo 2 por dia). Ao meu ver o senado só prejudicou o projeto, sem contar ainda que não aprovaram também a isenção de pedágios para os eixos suspensos. Torço para que os deputados revejam no mínimo a aprovação dos pedágios e das estadias, não sou patrão mais não acho isso justo, principalmente pros autônomos. Agora, qto aos sindicatos pelegos, vejam que esses não sabem de nada, foram passear em Brasília e nós pagamos a conta. Colocaram o Requiao pra “defender” nossos direitos, e o Requiao fala pra todos ouvirem que os motoristas não passam de um monte de DROGADOS. Esse Requiao e estes Sindicatos NÃO ME REPRESENTAM. VAMO TRABALHA POVAO, E NÃO FIQUEMOS DANDO TRELA PRA ESSES SINDICALISTAS QUE ESTÃO CAGANDO EM TUDO.

    • 05/06/2014 em 10:07
      Permalink

      temos que bater o pé por salário melhores,planos de saúde,castas básicas, e tirar esse desconto de sindicatos pelegos,não se manifestando a favor da categoria.

  • 05/06/2014 em 00:47
    Permalink

    ESTIVE NO SENADO NO DIA DA VOTAÇÃO TAMBÉM TIVERAM MAIS DE 300 CAMINHONEIROS, A NOVA PROPOSTA FICOU BOM PARA TODOS; OS CAMINHONEIROS AUTÔNOMOS PODERÃO TRABALHAR UMA HORA A MAIS E TERÃO A GARANTIA DE RECEBER A ESTADIA, TAMBÉM O PESO POR EIXO PASSOU PARA 10% DE TOLERÂNCIA SOBRE O EIXO E OUTRAS COISAS MAIS NO CASO DOS MOTORISTAS EMPREGADOS TERÃO SEU DIREITO A HORA EXTRAS GARANTIDOS E TAMBÉM SEGURO DE VIDA NO VALOR DE 20 VEZES AO VALOR PISO SALARIAL SENHORES NÃO ACREDITE EM TUDO QUE A MIDIA DIZ ELES NUNCA DIRIGIRAM CAMINHÃO, LEIAM A PL 041 QUE VOCES IRÃO PERCEBER QUE DA FORMA QUE FICOU, FICOU COERENTE, TAMBÉM O SENADOR FALOU QUE 30% A 60% DOS CAMINHONEIROS SÃO DROGADOS, DROGADO É A ……. DELE, AGORA NOSSO PRÓXIMO PROJETO É O PISO MINIMO PARA O TRANSPORTE DE CARGAS

    ABRAÇOS

  • 04/06/2014 em 22:48
    Permalink

    Temos mesmos que se ferrar não temos união nem mesmo respeito um com outros aceitamos tudo ganhando 2,000 por mês e achamos que ta bom

  • 04/06/2014 em 22:14
    Permalink

    NA VERDADE QUEM ESTA CONTRA A LEI SÃO OS PROPRIOS MOTORISTAS E NÃO SÓ OS AUTONOMOS MAS OS PROPRIOS EMPREGADOS, ELES MESMOS ESTÃO DANDO TIRO NO PÉ. SE OS MOTORISTAS RECEBESSEM OS SALÁRIOS DA CATEGORIA E MAIS AS 2 HORAS EXTRAS POR DIA, PRÊMIO DE R$ 30,00 POR DIA DE “VIAGEM” E PRÊMIO POR MÉDIA DE CONSUMO, PASSARIAM A RECEBER UM SALÁRIO LIMPO DE APROXIMADAMENTE UNS R$ 2.800,00 E MAIS SUAS DEPSESAS DE VIAGEM CONFORME VALOR PREVISTO EM CONVENÇÃO, COM CERTEZA O VALOR “LIMPO” QUE CADA U RECEBERIA SERÁ MUITO MAIS DO QUE OS VALORES “LIMPOS” QUE RECEBEM HOJE COMO COMISSÃO. TEM QUE FAZER CONTAS.

    • 05/06/2014 em 00:02
      Permalink

      Perfeitamente Borges, mas a maioria dos motoristas acham que vai ganhar dinheiro se matando de trabalhar por aí sem receber o que é justo.
      Vão na onda dos patrões exploradores.

  • 04/06/2014 em 21:47
    Permalink

    acho que 4 horas de descanso por dia estão de bom tamanho. quem é que precisa jantar todo dia? quem é que precisa almoçar rigorosamente todo dia? Acho desnecessário esse negócio de ter que parar pra descansar.
    Quem quer descansar sabe da sua saúde e de suas necessidades. Dormir mais que 5 horas é preguiça. andar menos que 1000 km´s por dia é preguiça. Não temos mais nada pra fazer, além de ficar sentados e dirigindo. Já que somos todos robôs, que não possuem mesmo, nenhuma necessidade de lazer e (ou) de descanso, ou contato familiar, podemos SIM ficar trabalhando 18 horas por dia sem problemas. Nossos patrões já nos pagam bem, e não vejo nenhum problema de salário ou valorização de funcionários.
    Trabalhamos 6 meses por ano para pagar impostos, e pagamos o carro, o leite, a luz, a escola e tudo o mais, como sendo os mais caros do mundo! Somos todos ricos já.
    Ainda bem que temos os políticos que temos, afinal, foi nós que colocamos eles, e eles estão na verdade é afrouxando muito. Acho que deveríamos obrigar os motoristas colegas a trabalharem mais.
    Ficar em casa pra quê? 2000 de salário tá bom demais! bora bora continuar a ser escravos! nós gostamos, nós adoramos!

    • 04/06/2014 em 23:47
      Permalink

      Concordo com você Julianow, o pessoal a invés de brigar por melhores salários, condições melhores de trabalho, segurança, melhores estradas estão brigando para serem escravizados, é o tipo de classe que político adora, burros otários, queremos igualdade de salários de trabalhadores normais, 44 horas semanais o resto hora extra não escravizados dirigindo 18 por dia, enriquecendo patrões e nossas famílias passando necessidades, fora os
      outros que aceitam trabalhar por essa miséria e começa a fazer “gatos” na estrada para melhorarem o salário.

    • 05/06/2014 em 07:46
      Permalink

      A verdade é uma só, a maioria destes motoristas que são contra a lei são aqueles motoristas que acha que caminhão é brincadeira !!! enchem o cú de droga e sai fazendo barbaridades nas estradas, matando aquele que esta trabalhando sério ,pra eles tudo é brincadeira, pra que dormir se estão com o cú cheio de drogas …

      • 06/06/2014 em 09:30
        Permalink

        Toni, vc esta certo, esses cheira pó que estragam á categoria,mas se fizerem o exame toxicológico,6 em 6 meses, esses zumbis abutris vão sair da estrada,

  • 04/06/2014 em 21:41
    Permalink

    Ficar parado por 8 horas seguidas é coisa que VAGABUNDO ADORA, Somente os motoristas porqueiras e vagabundo é que estão a favor desta lei

  • 04/06/2014 em 19:02
    Permalink

    Por que os sindicatos e Federação dos Motoristas Profissionais e de caminhoneiros não se manifestam sobre a lei do descanso? Por que não dão posição contra ou a favor de alguma das propostas da Câmara e Senado? Afinal, só se vê notícias veiculadas pela Câmara e Senado enquanto os profissionais do volante ficam sem condições de tirar uma opinião abalizada a seu favor. Essa falta de decisão representativa da classe é horrível e mostra total desarticulação o que favorece aos políticos nadarem de braçada sobre o desconhecimento dos verdadeiros interessados.

    • 05/06/2014 em 09:54
      Permalink

      meu amigo, os sindicatos,vão medir esforços por que?se o deles faça chuva ou sol já vem descontado em folha,se quisermos é nós que temos que correr atras.

  • 04/06/2014 em 18:20
    Permalink

    o frete do caminhoneiro autônomo é baixo a manutenção cara as despesas diárias altas para muitos motoristas sérios tem q rodar pra não deixar de pagar todas as despezas vergonha é o valor do frete para o autõnomo.

  • 04/06/2014 em 18:18
    Permalink

    Conheço alguns motoristas que trabalhão só pela comissão sem nada de salario correndo dia e noite em um bitrem chega no final do mês com 2000 reais e acham bom sem. ferias nem fim de semana nem feriados não veem que na verdade não ganhão nem um salario minimo pelo tanto de horas que ficão a disposição do caminhão.

    • 05/06/2014 em 09:49
      Permalink

      por causa de burros que nós tamos onde tamos,aí esses burros só fazendo quebra de asa,se drogando,mantando inocentes,e nós que lavamos pelo lado certo é que sofremos por isso.

  • 04/06/2014 em 18:01
    Permalink

    requião voçe é o cara mais sujo e mintiroso da politica tenho vergonha de ter votado para voçe que fez aquéla proméssa, lembra O PEDAGIO ABAIXXA OU ACABA lembra porco e colocou o dono da impreiteira de chefe do DER agora quer da uma de saber tudo. imundo.

  • 04/06/2014 em 17:26
    Permalink

    so deveria valer para empregados para poder descançar sem os patroes ficar cobrando horario mas os particular nao e certo ter regra eles na verdade sao micro empresario eles mandam nos seus negoçios e param quando quer vai para casa sempre que tem voltade nao precisa perguntar para ninguem se pode ir ou vim entao nao entendi essa lei ;; compro um caminhao pago prestaçao iss imposto ipva seguro para ter que respeitar ordem e melhor ser empregado

  • 04/06/2014 em 16:03
    Permalink

    Na minha opinião essas modificações na lei deveriam ser feitas após entrevistar caminhoneiros de todas as regiões do país não só da Região Sul mas das outras Regiões inclusive da Região Nordeste que é o meu caso, afinal todos nós somos o principal alvo dessa discussão. Estas mudanças não podem ser feitas por pessoas que não vivem dentro de caminhões. A culpa dos acidentes nas estradas só vai para os caminhoneiros, ninguém vê quantos de nós já perderam suas vidas para salvar irresponsáveis que conduzem automóveis cometendo barbaridades em alguns casos o causador do acidente é um desses que estão elaboram nossas leis. Tem que levar em questão nossas problemas e dificuldades. Eu sei que temos que descansar mas se vamos para uma viagem longa e tivermos que passar esse tempão parados num posto quando chegaremos de volta em nossas casas? Eu acho que 1 hora para almoço, 1 hora para jantar, 8 horas diárias de descanso podendo ser fracionadas está de bom tamanho, o tempo de direção cada um tem seu limite, eu particularmente não sou muito de parar até porque meu percurso só é 320 km ida e volta. É isso aí vamos tentar melhorar para todos não só para os assalariados e os autônomos que tem que pagar seus caminhões como ficam? Deixo bem claro que não sou autônomo sou assalariado mas conheço alguns.
    Ôh galera vamos nos unir para conseguir dias melhores para todos nós assalariados e autônomos.
    Grande abraço para todos

  • 04/06/2014 em 15:22
    Permalink

    Concordo com o Nelson correa machado

  • 04/06/2014 em 14:55
    Permalink

    É por esse tipo de lei que está difícil encontrar motoristas para trabalharem nas estradas, veja meu caso, deixei a estrada, cansado de ser explorado por patrões gananciosos que acha que você deve trabalhar de 06:00 da manhã até 22:00 sem receber horas extras e todos benefícios de um trabalhador normal e ainda ficar 20 a 30 dias fora de casa, tomando banho em banheiros nojentos e dormindo em boleia de caminhão. Hoje trabalho numa usina de cana de açúcar, o caminhão que trabalho e toda frota tem no máximo 5 anos de uso, ganho em média 2.000,00 líquidos mês(salário+hora extra+cesta básica e plano de participação nos lucros da empresa) tenho transporte todo dia de casa para o trabalho, restaurante na empresa, todo dia em casa no conforto do meu lar, vou querer deixar tudo isso pra ser escravizado nas estradas?
    Está na hora de nós motoristas nos valorizarmos, brigarmos por salários e não para sermos escravizados, para encher as burras de empresários que só vivem chorando, mas todo ano comprando caminhões novos e reclamando em pagar um salário digno para um motorista ficar 30 dias fora de casa tomando conta do seu patrimônio.

    • 05/06/2014 em 19:29
      Permalink

      Concordo plenamente com o amigo,todo o profissional deve procurar o seu melhor, emprego tem de sobra mas empresas boas são poucas, mas tem!

    • 07/06/2014 em 17:42
      Permalink

      concordo plenamente com Reinaldo todo motorista tem direito como os outros
      trabalhadores de receber um salario digno, cesta basica, horas-extras, e tudo de direito e trabalhar 8 horas por dia , o que trabalhar alem disso, sera considerado como extras. e que seja criado pelo governo pontos de apoio para o motorista ter um ponto digno para tomar banho, uma sala para ver televisão, sala de jogos para
      o motorista relaxar um pouco.

  • 04/06/2014 em 14:17
    Permalink

    e verdade,os malas so falam em horas e horas e sobre beneficios finaceiros nada nem tocao no assunto,pakaba…..!

  • 04/06/2014 em 13:55
    Permalink

    Muito me admiro aos nobres deputados e sandores discutindo tempo de trabalho aos motoristas, pengunto-lhes.
    Ao inves de esterem discutindo isso por que não se reunem aprovam reformas urgentes na malha viaria do país, por que não se juntam abaixem os impostos ao diesel, pois se essas duas casas Camara e Senado, comem um lanche ou tomam um cafezinho isso foi transportado por caminhão.
    Parem de palhaçada trabalem pelo nosso país.

  • 04/06/2014 em 13:07
    Permalink

    para vcs verem como estamos mau representado,ninguém fala em salário,segurança,etc.

  • 04/06/2014 em 12:56
    Permalink

    eu sou motorista quem sabe a hora que devo descansa sou eu e nao politico corruptos a minha opiniao seria comeca o trabalho sei horas da manha e para as vinte uma horas
    o descanso cada um faz o seu

    • 05/06/2014 em 09:42
      Permalink

      Você propõem então jornada de 15 horas de trabalho? Acordem, vocês estão sendo explorados, trabalhando muito, ganhando pouco e em péssimas condições. A lei trouxe benefícios que nunca antes um motorista receberá, por exemplo adicional noturno, tempo de espera e até horas extras.
      Acordem….

      • 16/06/2014 em 22:29
        Permalink

        O luca me fala uma só empresa que paga tudo isso ai amigo…quero ver…

  • 04/06/2014 em 12:16
    Permalink

    Os próprios motoristas sabotaram a lei, apoiando o Jayme Campos. Patético. Só receberam o que merecem.

  • 04/06/2014 em 11:30
    Permalink

    Como sempre os trabalhadores (motoristas) só levam na cabeça, já tínhamos o direito adquirido e vem essa corja de vagabundos a mando de exploradores de mão de obra barata e modificam a lei.

Fechado para comentários.