Aumento no roubo de carga preocupa caminhoneiros no Alto Tietê

Roubo de cargas




Caminhoneiros que utilizam as estradas do Alto Tietê redobram os cuidados na hora de transportar cargas. No Alto Tietê, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Mogi das Cruzes se destacam nas estatísticas.

Segundo os caminhoneiros, a noite os perigos aumentam e os criminosos tentam abordar os motoristas com dois carros. “Um encosta na frente, outro atrás. Um fala que está caindo coisa lá atrás e aí a gente sabe que é uma tentativa de roubo. Graças a Deus eu não paro, eu vou até o Batalhão da Polícia”, explica o caminhoneiro Graziano Milioli.

Em Ferraz de Vasconcelos os dados impresionam, a cidade registrou um crescimento de 114% de roubos de carga. Mas o crescimento pode ser notado em toda a região. De acordo com a SSP, de janeiro a abril de 2014 o assalto a motoristas de caminhão aumentou de 70, nos mesmos meses em 2013, para 74 neste ano.

Suzano teve um crescimento de 61% nos casos de roubos de carga de um ano para o outro. Já Mogi das cruzes registrou um dos menores aumentos, de 12%. “É feito um trabalho de investigação pela Polícia Civil e da nossa parte é feito um trabalho de prevenção com essas operações de visibilidade e abordagens de caminhões. É o nosso trabalho de prevenção ao delito”, explica a Chefe de Comunicação da Polícia Militar, Cláudia Regina Cândido Oliveira.

LEIA MAIS  Homem é preso por adulterar placa de caminhão com fita adesiva em SC

Uma transportadora, em Mogi das Cruzes, trabalha com cargas de bebidas, produtos químicos e materiais elétricos. O caso mais recente de roubo foi há um mês. “O caminhão saiu carregado daqui com componentes elétricos para descarregar em Osasco. Chegando na porta da empresa, ele foi abordado por dois bandidos. Foi levado o caminhão junto com o motorista até uma área próxima da empresa. Foi transbordada a carga para outro caminhão e foram liberados nosso caminhão e o motorista”, diz Erivaldo Ramos da Silva, proprietário da empresa.

Segundo Erivaldo, a preocupação faz com que ele invista por mês cerca de R$ 10 mil com a segurança dos 15 caminhões. Além do seguro da carga, para monitorar a frota, a empresa usa também um sistema de rastreamento via internet. “Nós temos um sistema de rastreamento pela internet e temos também o seguro da carga. Inicialmente [o sistema] era mais para rastrear nossos caminhões para passar para os nossos clientes. Mas hoje, com o aumento do roubo, a gente usa também para monitorar essa parte de roubo”, diz.

LEIA MAIS  Iveco é a montadora que mais vende caminhões na Argentina

Em nota, a Polícia Militar diz que orienta aos caminhoneiros a evitar locais isolados e, se for necesário parar, que seja em um lugar visível e bem iluminado. Em caso de pane, a PM orienta ainda a procurar um posto de combustível.

Fonte: TV Diário




Deixe sua opinião sobre o assunto!