Primeiro passo para o tabelamento do valor do frete

Bitrem Tanque




Iniciará amanhã a audiência pública referente ao Projeto de Lei 5000/13, de autoria do Deputado Washington Reis (PMDB/RJ), que visa, entre outras propostas, criar o piso do frete para transporte rodoviário de combustíveis, um primeiro passo quando se fala em tabelamento do valor do frete. Outro ponto da proposta, que institui a Política Nacional de Transporte Rodoviário de Combustíveis, é a redução de taxas e impostos como forma de desonerar o transporte de combustíveis, que é fundamental para o funcionamento do país.

Para diminuir os custos de transporte a proposta prevê investimentos na qualificação dos profissionais envolvidos no transporte de combustíveis; modernização e renovação dos caminhões, para redução dos riscos de acidentes; e racionalização das restrições a esse tipo de transporte.

O relator da proposta na Comissão de Minas e Energia, na qual o projeto já foi aprovado, deputado Missionário José Olímpio (PP/SP), destacou que o transporte de combustíveis deve ser considerado um serviço de utilidade pública e por isso precisa de uma legislação própria. “Até hoje não tem uma regulamentação específica no transporte de combustível que é uma carga perigosa, inflamável e hoje não tem ainda aí uma diretriz.”

LEIA MAIS  Premiação marca fim da 11ª Edição da Caravana Siga Bem

O presidente da Associação Brasileira de Transporte e Logística de Produtos Perigosos, Paulo de Tarso Martins, lembrou que já houve no país uma legislação específica para esse tipo de transporte, mas hoje, a qualificação deve ser feita pelas transportadoras. Paulo de Tarso informou que por ter um grande volume, o transporte de combustíveis é atrativo, mas por seu alto custo, acaba sendo realizado por empresas não qualificadas.

“Aquele que é mais organizado e faz conta prefere se afastar e aquele que não faz conta continua trabalhando até o dia em que vê que está sendo aviltado e que vai quebrar. Então ou ele deixa de fazer ou faz mal feito. Então – eu não sei se a legislação vai ser aprovada no totum – mas, ela tenta resgatar que esse transporte tem interesse público.”

LEIA MAIS  Bolsonaro se reúne com dirigentes da Petrobras para discutir reajustes do diesel

Na manhã deste dia 11, no Centro de Convenções Hotel Opala Avenida, em Campinas-SP, será realizada a Audiência Pública do projeto, para debater, sugerir emendas e encaminhá-las ao Deputado Washington Reis, autor do projeto.

Discutir a infraestrutura viária; regulação do setor de transporte paulista e elaboração de propostas para melhoria ao setor de transporte de cargas, e a sua contribuição enquanto ator principal neste cenário é fundamental nesta oportunidade única.

A íntegra do projeto pode ser lida neste LINK.

Blog do Caminhoneiro com informações da Agência Câmara




10 comentários em “Primeiro passo para o tabelamento do valor do frete

  • 13/07/2014 em 10:11
    Permalink

    Qualquer tabelamento significa o fim de uma liberdade e o governo aumentando sua interferferecia na economia. O mercado se regulariza sozinho ,pois nele vigora a lei da oferta e da procura. Como nao há caminhoes e nem motoristas suficientes, os precos subirao nem que o governo decida ao contrário. Caminhao faz média de consumo de acordo com a potencia e a carga e nao há decreto que mude isto.

    Resposta
  • 12/07/2014 em 19:26
    Permalink

    PENSO QUE TERIA QUE TER UMA TABELA DE PREÇO MINIMO SIM.ACIMA DISSO VAI A NEGOCIAÇÃO.OUTRA COISA QUE TEM QUE SER ABOLIDO DOS FRETES MOTORISTA PAGAR PRA CARREGAR OU DESCARREGAR OUTRO ABSURDO NO RAMO.E O PEDAGIO QUE OS AUTONOMOS PAGAM DO BOLSO.O PROCAMIONEIRO OUTRA BANDALEIRA .

    Resposta
  • 12/07/2014 em 11:03
    Permalink

    Papo furado, esse negocio de tabelar frete, só pra deputado se aparecer em época de eleição, existe diversos tipos de operação, tipos de produtos com valores agregado diferentes, quem comanda o frete é dono do caminhão e pronto.

    Resposta
  • 11/07/2014 em 19:12
    Permalink

    Tenho a minha própria maneira de calculo de frete e se chama kilometro rodado .
    Pois o caminhão tem um custo por km e ai basta adicionar o custos medios de depreciação e manutenção (que gira próximo do custo por km do diesel ) a colocar o lucro que é a terceira parte ou seja 3:1 divide a media do caminhão pelo preço do diesel e multiplique por 3 vai ter o valor ideal do preço a se cobrar do embarcador…pois se depender de sindicato…sem comentários creio que sem greve ou qualquer intervenção governamental com a simples observância da regra chegaremos lá!
    Pesquisem no YouTube “calculando um frete”

    Resposta
  • 11/07/2014 em 10:28
    Permalink

    Se tiver algum SINDICALISTA de ponta,cara firme com personalidade e acima de tudo fiel representante da classe dos caminhoneiros,ele poderia pedir para ser implantado junto os frete de caminhoneiros autônomos,porque este deputado só pediu para os caminhões de combustivel,que será que ele tem com esses caras????????

    Resposta
  • 10/07/2014 em 20:49
    Permalink

    O tabelamento dos fretes tem que ser calculados da seguinte maneira ( 1,5 lt de diesel por km rodado independente da região e do preço do diesel e também se é autônomo ou transportadoras) e vê se parem de tampar o sol com peneira…….

    Resposta
  • 10/07/2014 em 17:47
    Permalink

    Tudo que compramos tem preço.Deveria existir uma tabela de frete para caminhoneiros autônomos. Eles trabalham para transportadora boca de porco, por qualquer preço.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!