Conheça os piores hábitos no trânsito e evite acidentes

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o Brasil é o 5° país com maior índice de violência no trânsito. Dados do DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) mostram que ocorrem cerca de 150 mortes por dia em todo o país.

Para a guarda municipal da cidade de Itapetininga, localizada no estado de São Paulo, 90% dos acidentes são ocasionados por imprudência dos motoristas ou pedestres. Com isso, podemos dizer que as cenas chocantes mostradas todos os dias nos telejornais poderiam ser evitadas.

Visando tornar o leitor do Blog do Caminhoneiro mais consciente, confira abaixo algumas dicas do sócio-fundador da Dinamicar, Danilo Vasconcelos, sobre o que não se deve fazer ao volante.

Uso de drogas e bebidas alcoólicas

Dirigir requer muita atenção de nossos sentidos. É fundamental que estejamos com nossa mente focada em tudo que acontece ao nosso redor.

O uso abusivo de bebidas alcoólicas no volante é altamente perigoso, pois altera a percepção, bem como a noção de velocidade. Segundo Marta Ana J. S. Vaz, diretora do CRATOD (Centro de Referência do Álcool, Tabaco e Outras Drogas), o álcool afeta as áreas motoras de avaliação e decisão, dando ao motorista a sensação de que “dirige melhor quando bebe”.

O uso do chamado rebite também é altamente perigoso, pois, apesar de dar uma sensação de atenção, pode prejudicar o raciocínio.

Uso de celular

conheca-piores-habitos-transito-evite-acidentes-blog-do-caminhoneiro-2




Outra atitude a se evitar é o uso de celulares ao volante. Uma pesquisa da National Safety Council (Conselho de Segurança Nacional), dos EUA, aponta que do total de acidentes de trânsito, 25% são provocados pelo uso de telefones móveis.

Quem mantém o hábito de digitar mensagens de texto, atender chamadas ou acessar a internet, nem sempre tem consciência do risco que corre. Apesar disso, grande parte dos motoristas escapa de punições, já que a multa depende da ação de agentes de trânsito, e o quadro desses profissionais é insuficiente para garantir uma fiscalização eficaz.

Ouvir música com volume muito alto

O ato de dirigir não implica somente na relação entre o motorista e o carro, mas também no que está ao redor. A música distrai e deixa o condutor alheio a sinais sonoros que podem fazer a diferença na hora de evitar acidentes.

Dirigir com estado emocional alterado

Fatores emocionais e psicológicos fazem total diferença na hora de assumir o volante. Deve-se evitar emoções em exagero como o nervosismo, a tensão, a excitação e a ansiedade. Todas elas são inimigas do foco e da boa condução dos veículos automotivos.

Esquecer de dar a seta

Embora pareça um motivo bobo, a sinalização no trânsito faz total diferença. Esquecer de dar a seta é uma das faltas que mais reprova nos exames para tirar a CNH (Carteira Nacional de Habilitação), mesmo que ela seja a forma mais segura e preventiva de se comunicar com os outros motoristas e até mesmo com os pedestres.

Com ela, além de evitar acidentes, você avisa que vai mudar de pista, estacionar, fazer ultrapassagem entre outras coisas. Não seja imprudente.

O não uso do cinto de segurança

O cinto de segurança é o principal aliado dos motoristas, contudo, muitas pessoas ignoram o seu uso. Se todos fizessem uso dessa ferramenta, muitas mortes causadas por acidentes de trânsito seriam evitadas, já que esta é a maneira mais eficaz de se prevenir as conseqüências de qualquer acidente de trânsito.

Lembre-se sempre que o cinto é um seguro de vida, use-o e dirija de maneira segura.

Conclusão

Atitudes simples no trânsito podem melhorar a sua vida e evitar acidentes graves, garanta a sua segurança e a de quem está próximo. Respeitar o direito do próximo é um dos principais passos para a construção de um transitar mais seguro. O que você faz para garantir a sua segurança ao dirigir? Compartilhe com a gente!

Fonte:  Dinamicar





Deixe sua opinião sobre o assunto!