Cuiabá terá cadastro para pesados

As empresas do segmento de cargas pesadas têm até o dia 20 de setembro para cadastrar os veículos e receberem autorização para circular em áreas restritas de tráfego, em Cuiabá. De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura, os caminhões que não estiverem autorizados serão multados. Os valores das multas ainda não foram definidas e vão ser aplicadas dependendo o tamanho do veículo e o local da via onde o motorista estava circulando.

Caso o condutor do caminhão for pego circulando sem a autorização, os agentes de trânsito acompanharão até a saída da cidade. Conforme o secretário de Trânsito e Transporte Urbano, Antenor Figueiredo, as autorizações serão emitidas para que os veículos pesados possam circular na zona de restrição, mas com data e local definidos. “Dessa forma, teremos controle sobre a quantidade e o tamanho das carretas e caminhões que circulam no município”, disse o secretário.

Veículos com até 10 toneladas, incluindo peso do veículo e carga, podem circular normalmente em qualquer horário. A legislação atenta para aqueles com até 24 toneladas ou superior.

Segundo a assessoria, para os veículos com até 24 toneladas, o tráfego é permitido na área de restrição máxima, que compreende a região do Centro Histórico, durante a semana, somente entre os horários de 20h às 6h. E, no entorno do Centro, fica proibido o tráfego entre 12h e 14h e das 17h às 18h.

Já para os veículos com mais de 24 toneladas (carretas), o tráfego na zona de restrição máxima é proibido em qualquer horário. Nas principais vias e também nos bairros, esses veículos podem circular entre 20h e 6h, e aos sábados, a partir das 14 horas.
E na estrada que leva ao Distrito de Nossa Senhora da Guia, o tráfego no local ficará limitado aos horários de 20h às 6h, durante a semana.

A regulamentação foi firmada entre a prefeitura, empresários e sindicatos, na última quarta-feira (20). “Temos ainda uma cidade em obras, com um fluxo menor de intervenções, porém com necessidades de melhor fluidez no trânsito”, frisou o secretário.

Fonte: TV Centro América





Deixe sua opinião sobre o assunto!