MPT-PR pede indenização de R$ 1 milhão por violação no controle de jornada dos motoristas

Caminhao Scania 111S - Caminhoneiro




O Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR) em Cascavel entrou com ação contra uma empresa de transportes em julho. A ação, ajuizada pelo procurador o trabalho Marco Aurélio Estraiotto Alves, refere-se a denúncias sobre irregularidades quanto ao controle e registro de jornada de trabalho dos motoristas.

Uma operação fiscal realizada pela Polícia Rodoviária Federal verificou que os motoristas rodoviários da empresa não apresentavam qualquer meio de controle da jornada de trabalho e tempo de direção. Segundo apuração realizada durante o Inquérito Civil, a empresa não permitia que seus empregados anotassem a jornada de trabalho ou o efetivo tempo de direção. A empresa possui em torno de 150 motoristas rodoviários.

A resistência da empresa acarreta em jornada dos funcionários além do limite legal, sonegamento do pagamento das horas extras devidas e dificuldade de fiscalização da real jornada de trabalho e do tempo de direção, além dos intervalos para alimentação e descanso.

Devido as irregularidades, o MPT-PR pede judicialmente que a empresa realize o pagamento dos custos e despesas processuais e, ainda, realize o correto controle da jornada de trabalho dos seus motoristas, preferencialmente por meios eletrônicos, que dificultam a manipulação humana. Caso a obrigação seja descumprida, pede que seja aplicada uma multa no valor de R$ 50 mil. Além disso, o MPT-PR requer da empresa o pagamento de R$ 1 milhão de reais, a título de dano moral coletivo, que será revertido ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

LEIA MAIS  Mercedes-Benz mostra sua linha de caminhões para o agronegócio na Coopavel

Números

Esse tipo de situação compromete não apenas a saúde dos motoristas, como resulta em milhares de acidentes a cada ano, vitimando tanto motoristas quanto os demais usuários das rodovias.

De acordo com levantamento realizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em 2011, de um total de 38.523 acidentes rodoviários federais no Paraná, 10.717 envolveram veículos de carga e 757 coletivos. Ou seja, quase 30% dos acidentes de trânsito envolveram as categorias abrangidas pela Lei.

LEIA MAIS  ELD pode ter aumentado o número de acidentes com caminhões nos EUA

Por outro lado, acidentes de trânsito também compuseram a maior parte dos acidentes de trabalho com vítimas fatais registrados no Paraná em 2012, de acordo com o Sistema de Informação de Mortalidade do Datasus. De um total de 397 acidentes de trabalho fatais, foram 202 óbitos em acidentes de trânsito − dos quais 52 eram motoristas de caminhão, 10 caminhoneiros autônomos, quatro ajudantes de caminhoneiros e um motorista de ônibus rodoviário.

Fonte: MPT-PR




2 comentários em “MPT-PR pede indenização de R$ 1 milhão por violação no controle de jornada dos motoristas

  • 18/09/2014 em 10:01
    Permalink

    …, o MPT-PR requer da empresa o pagamento de R$ 1 milhão de reais, a título de dano moral coletivo, que será revertido ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT)……

    Bem, ao meu ver já que multados pela acusação de explorar os 150 funcionários, a devida multa de 1 milhão deveria ser rateada entre os mesmos. Isto de reverter para o FAT é, uma maneira de contemplar o cabidão de empregos que virou este fundo de amparo a trabalhador.

    Resposta
  • 07/08/2014 em 16:35
    Permalink

    Uma maneira fácil de tirar dinheiro de empresas , para contribuir com o FAT.. Que em meu entender( minha opinião pessoal), não passa de um funil de dinheiro para políticos, alguns poucos funcionários do famoso cabide de emprego e. tudo de ruim que vcs puderem imaginar sobre tais multas.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!