Tecnologia de SC registra excesso de peso enquanto caminhão passa na via

por Blog do Caminhoneiro

Uma tecnologia desenvolvida em Santa Catarina objetiva agilizar e otimizar a fiscalização do excesso de peso em veículos de carga nas rodovias. Para isso, o equipamento registra se há ou não infração enquanto o caminhão está trafegando na estrada.

Ultrapassar o limite de carga faz parte da rotina de muitas transportadoras. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Santa Catarina analisou 216 mil notas de diferentes empresas de transporte. O resultado foi que 91% delas indicavam que a carga estava acima do peso. A dificuldade está na fiscalização, já que muitos motoristas fogem das balanças para não serem flagrados.

Como funciona

Pelo novo modelo, desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o caminhão será pesado na própria rodovia, em velocidade normal. Somente os veículos suspeitos de irregularidade terão que entrar no posto de fiscalização.

Se o excesso for confirmado, o motorista recebe a multa em casa, pelos Correios. O condutor que tentar fugir, terá o caminhão fotografado e também vai receber uma punição. Os veículos que estiverem dentro da lei seguem viagem sem precisar parar.

“Com isso, nós vamos garantir a trafegabilidade, a agilidade sem esse gargalo, que seria ter que parar em um posto de pesagem mesmo estando de acordo com as normas, então todo o transportador ganha. Até o fluxo na própria rodovia ganha”, afirmou o superintendente do Departamento Nacional de Infraestruturas de Transportes (Dnit) de Santa Catarina, Vissilar Pretto.

Interesse internacional

O projeto foi aprovado e servirá de modelo para implantação de novos postos de pesagem em todo o Brasil. A ideia está chamando a atenção de pesquisadores de outros países.

Com o objetivo de entender melhor como funciona essa tecnologia, 220 técnicos estrangeiros participaram de um seminário sobre o equipamento no início do mês. “O mundo está preocupado e está desenvolvendo novas tecnologias também para controlar o excesso de peso”, afirma o engenheiro e pesquisador da UFSC Hélio Goltsman.

Fonte: Jornal Nacional

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

2 comentários

Leo Coe 21/08/2014 - 11:05

Nos anos 80, na Transp. Minuano,vila Maria alta, tinha o Messias(creio que este era no nome,ou,confundo com o do mecânico) encarregado das cargas, rei de colocar excesso em caminhões de autônomos ( mas os 2 gente boa pra caramba). Para evitar isto, pegava as notas, peso descrito e somava até chegar ao limite de 15 toneladas, seguindo sempre o carregamento. Tempo bom, enlonavam, faziam vários roldantes, enfeitavam o bruto ao enlonar. Hoje acredito que isto pode ser evitado, basta multar o embarcador com duas vzs o valor do frete cobrado. Pois de fato o caminhoneiro se vê obrigado a aceitar tal fato na maioria das vzs.

Reply
João Carlos Tumelero 19/08/2014 - 21:25

Basta apreender o caminhão com excesso de peso que logo acaba com essa farra.

Reply

Escreva um comentário