Caminhoneiros em protesto fecham entrada do Porto do Itaqui

Os motoristas de caçambas e caminhões-tanques decidiram paralisar as suas atividades desde as sete horas da manhã dessa quinta-feira (11). A decisão foi motivada porque a categoria quis reivindicar melhorias na estrutura do Porto do Itaqui, localizada na capital maranhense.

Segundo o caminhoneiro Cleomar Coutinho a situação no local é precária chegando ao ponto de faltar o básico como alimentação e higiene adequada. “É precária a situação; a gente passa 10 horas de relógio para poder carregar o caminhão e descarregar a mesma coisa. Então agente chega e não tem banheiro pra tomar banho, não tem restaurante pra jantar, pra almoçar, não tem nada”.

Ainda de acordo com os manifestantes o restaurante já foi interditado, mas ele continua funcionando sem nenhuma fiscalização. Sem falar que o valor dos alimentos chega a superar ao que é vendido no mercado, como explica o motorista Francisco Alves. “Um hambúrguer em todo lugar pela lanchonete custa 5, 6 reais; aqui é 10, 12, e o almoço que vem pra gente vem de fora, sendo que a gente não sabe de onde vem. É péssimo”.

Outra reivindicação da classe é para que a administração do Porto libere a entrada das famílias dos motoristas no local.
Em resposta as reivindicações, a Empresa Maranhense de Administração Portuária informou que a direção da Emap se reuniu com representantes dos condutores de veículos e da Polícia Rodoviária Federal, e que a não permanência de crianças e mulheres é uma das normas de segurança no porto, que é uma área de risco, com cargas inflamáveis.

Uma reunião na sede da Emap está marcada para a próxima segunda-feira (15), para tratar de outras reivindicações dos caminhoneiros.

Fonte: Rede Mirante





Deixe sua opinião sobre o assunto!