Consórcios de máquinas agrícolas cresce no país

por Blog do Caminhoneiro

Ao realizar novo levantamento, a assessoria econômica da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac) constatou que, entre as administradoras que atuam no setor de veículos pesados, especialmente em máquinas e implementos agrícolas, houve crescimento no valor dos bens objetivados para o desenvolvimento de suas atividades.

Ao variar de R$ 10 mil a R$ 1,3 milhão, os consorciados, ao utilizarem o consórcio como forma econômica e planejada, têm procurado adquirir equipamentos com mais tecnologia e que proporcionem melhores resultados.

Paralelamente, observou-se que a maioria, 76,6%, dos bens comprados com os créditos disponibilizados nas contemplações foram implementos agrícolas e rodoviários com 42,9%, cultivadores motorizados com 14,3% e colheitadeiras com 19,4%. Os tratores de roda participaram com 23,4%.

Com grupos variando de 60 a 150 meses e média de 104, dois a mais que o registrado em março último (102), a taxa média mensal de administração apontou 0,133%, com o crédito médio de R$ 191,4 mil.

O anúncio feito pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) no final do ano passado, que apontava 2013 com recorde histórico para as máquinas agrícolas e crescimento próximo aos 20%, maior que anos anteriores [2010, 2011 e 2012], puxado principalmente pelas colheitadeiras, acabou provocando continuidade em 2014 com mais compras. Mesmo com expectativa de aumento menor, ele tem sido sustentável e condizente com maior produção.

Segundo Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da Abac, “as boas perspectivas anunciadas no setor agrícola, apesar da seca e de chuvas extremas em vários pontos do país, estimularam a procura por máquinas e equipamentos mais avançados tecnologicamente via consórcio. As mudanças influíram nos prazos e nos créditos, com conseqüente redução no valor das parcelas contribuindo fortemente para o agronegócio, que tem no planejamento, a exemplo do mecanismo, sua característica principal.”

Em junho último, havia 235 mil participantes do setor de veículos pesados, dos quais aproximadamente 27% têm como objetivo adquirir bens relacionados ao agronegócio. As ações de planejamento a médio e longo prazos, práticas básicas da agricultura, têm levado o produtor rural ou empresas do setor a buscar a integração da tecnologia embarcada com mecanismos de autofinanciamento como o consórcio, visando obter custos finais menores capazes de agregar lucratividade e de obter resultados competitivos ao participar dos mercados externo ou interno.

Fonte: Monitor Mercantil

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

Escreva um comentário