Placas de trânsito quebradas prejudicam motoristas em SP

A cidade de São Paulo tem placas destruídas, amassadas e escondidas atrás de árvores e até sem letras. Estes são problemas encontrados em diversos pontos da cidade.

Na Ponte da Freguesia do Ó, na Zona Norte, uma placa quebrada permite ao motorista ler apenas “Freg”. Na rua do Glicério, na região central, falta uma palavra inteira na indicação à esquerda. Lá perto, na Vila Mariana, uma placa está totalmente amassada na Rua Conselheiro Rodrigues Alves, fato que pode ter sido causado por um caminhão.

Nas marginais há diversas placas atrás de árvores, que o motoristas só consegue ver quando já está bem próximo e não tem tempo para pegar o caminho desejado. Já a Avenida Escola Politécnica, na Zona Oeste, e uma alça de acesso à Ponte da Freguesia do Ó têm placas caídas.

LEIA MAIS  Caoa poderá receber incentivo do estado de São Paulo para compra da fábrica da Ford

A motorista Roberta Cardinale afirma que esses tipos de falhas dificultam o trajeto. Se você está sem GPS, você pega uma placa que te direciona para um lugar que tá fechado, ou te faz dar uma volta maior”.

LEIA MAIS  Caoa poderá receber incentivo do estado de São Paulo para compra da fábrica da Ford

A cidade tem 410 mil placas de sinalização. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) afirma que troca 1.200 placas por mês. Cada uma tem um prazo de duração de cerca de quatro anos. Outras com uma película podem durar 7.

Os motoristas podem relatar problemas com placas à CET por meio do telefone 1188.

Fonte: G1




Deixe sua opinião sobre o assunto!