Cummins desiste de nova fábrica no Brasil

ism_3cummins




A fabricante de motores para caminhões e geradores elétricos Cummins América do Sul desistiu de construir uma fábrica em Itatiba, interior de São Paulo. Previsto para ser inaugurado em 2015, o projeto, de US$ 90 milhões numa primeira fase, foi anunciado em meados de 2012. A área já havia passado por terraplenagem e recebido estrutura elétrica.

O grupo dos setores de autopeças e energia já tem três fábricas em Guarulhos, na Grande São Paulo, e a nova unidade seria destinada à produção de geradores elétricos, componentes e filtros, além de ter uma área para a distribuição. O presidente da Cummins, Luís Pasquotto, justificou que o mercado não apresentou o comportamento esperado na época do anúncio do projeto, quando o Brasil vinha de um crescimento de 7%. “Sabíamos que o país não continuaria a crescer nesse ritmo, mas está muito abaixo do que imaginávamos, que era em 4% a 5% ao ano.”

Outro fator decisivo, segundo o executivo, é a falta de competição do produto nacional, que levou o grupo a perder contratos de exportação na América do Sul. “Nossos vizinhos estão crescendo mais que a gente e, infelizmente, estão adquirindo produtos das nossas unidades na Ásia, México e até Europa, que têm preços mais competitivos”, afirmou o presidente da Cummins.

LEIA MAIS  Juiz de Fora tenta segurar fábrica da Mercedes-Benz

Até 2005, 40% da produção da Cummins era exportada, participação hoje reduzida a 15%. O mercado interno, somando todos os produtos da empresa, caiu até agora 22% em relação ao ano passado. O grupo também planejava trazer novas linhas de geradores e filtros para serem produzidos localmente e exportados, mas esse projeto também foi adiado.

Estratégia

A empresa fornece motores e componentes para fabricantes de caminhões, como MAN Latin America e Ford e geradores elétricos para shopping centers e construção civil, entre outros. “Não estamos descontinuando nossas atividades no país, apenas mudamos a estratégia e vamos concentrar investimentos nas unidades de Guarulhos”, afirmou Pasquotto.

Até 2015, essas unidades vão receber de US$ 10 milhões a US$ 12 milhões que ainda faltam de um programa de investimento de US$ 48 milhões iniciados em 2012. Além disso, a unidade de motores tem recebido em média US$ 20 milhões ao ano. A Cummins ainda estuda o que fará com o terreno de Itatiba, que tem 430 mil metros quadrados. A Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos do Governo de São Paulo, informou que não há registros de cancelamento de investimentos de outras empresas no Estado.

LEIA MAIS  Cummins Brasil apresenta nova solução digital de monitoramento de frota

Férias coletivas

A Cummins emprega 1,5 mil funcionários diretos em suas três unidades em Guarulhos, além de 500 a 600 terceirizados. Pasquotto informou que a maioria deles entrará em férias coletivas de no mínimo duas semanas em dezembro.

Nesse período, o grupo vai aproveitar para fazer alterações na fábrica de motores para a nacionalização de duas linhas de produção desses equipamentos para caminhões que serão nacionalizados.

Fonte: Época Negócios




Deixe sua opinião sobre o assunto!