Motor Scania – Alto desempenho em qualquer ocasião

Navio com motor Scania (1)




Quando um vento forte sopra, as ondas podem bater sobre o convés da embarcação, submergindo completamente as grades e lançando pessoas e objetos soltos com selvageria. Mesmo com tempo bom, a combinação de levantar cedo, longas jornadas e extenuantes cargas de trabalho impõem altas demandas sobre os pescadores e seus equipamentos.

A equipe da Scania no Reino Unido passou um dia com o capitão Scott Govier e o tripulante Ben Prowse enquanto eles pescavam na embarcação a motor, o MV Hope, ao largo da costa da cidade de Brixham, em Devon. Partindo do porto às 3h30 da manhã, a dupla viajou diretamente para um local de pesca a 25 quilômetros da costa apelidado de ‘Three in a Row’ (três em seguida) após três naufrágios ocorridos ali.

Preparação para a rede de arrasto

Sem trocar uma palavra entre eles – em parte porque cada um sabia exatamente que o outro estava fazendo, e em parte devido aos altos ruídos das ferragens – a dupla começou então as preparações para lançar a rede de arrasto.

Com o barco no piloto automático, navegando continuamente a três nós, as redes e os bridões (pesadas cordas de nylon e cabos de aço presos a elas) são lançadas ao mar. Para a preparação das redes, Prowse precisa pular de um lado do barco para o outro para executar um complexo conjunto de tarefas de enganchamento e desenganchamento.

Começa, então, um período de quatro horas de reboque. Nesse relativo silêncio, Govier, proprietário de uma parte do Hope, explica as demandas que a pesca com arrastão representa para o motor de um barco.

“Nós pescamos com uma licença de seis milhas, o que nos limita a uma embarcação de 12 metros e uma potência máxima de 300 HP” afirma ele. “Viajamos a oito nós e rebocamos a aproximadamente três. Você pode imaginar a tensão que a tralha inteira exerce sobre o sistema, assim, o que precisamos mais do que qualquer outra coisa é de torque. E é por isso que o motor Scania é tão importante. Com ele podemos rebocar com apenas 1.600 rotações. Essas baixas rotações não só aumentam a confiabilidade, mas também fazem com que o barco seja extremamente econômico, muito melhor que nosso antigo modelo de 180 HP. Ele também tem potência suficiente para os guinchos, que são movidos por uma tomada de força na caixa de câmbio.”

Gaivotas ao redor da embarcação

Logo chegou a hora de puxar as redes. Quando o pescado subiu à superfície uma enorme nuvem de gaivotas se juntou ao redor da embarcação, assistindo enquanto as lulas, chocos e outros espécimes da vida marinha capturados eram derramados sobre o convés.

Depois da segunda passagem da rede, chegava a hora de voltar para terra, logo quando os ventos com forças de sete a oito (30 a 37 nós) previstos pela guarda costeira começavama soprar. E na medida em que o mar subia, as ondas inundavam o convés e o barco era lançado para cima e para baixo impiedosamente. Uma combinação de ventos cruzados e ondas encrespadas fazia a embarcação adernar para estibordo a um ponto tal que a grade da amurada desaparecia repetidamente sob a água.

Passadas as perturbações, o barco chegou à costa, levando a tripulação de volta às suas famílias e entregando o pescado para um mercado em espera.

Excepcional em todos os aspectos

Navio com motor Scania (2)O principal proprietário do MV Hope, Terry Lankford, compartilha a avaliação do motor Scania pela tripulação. Ele está com um novo barco atualmente em construção, e uma vez mais optou pela motorização da Scania. “O Hope foi reequipado com uma unidade Scania de 12 litros há cinco anos mais ou menos, e seu desempenho sob todos os aspectos é excepcional – em termos operacionais, de economia de combustível, do que você quiser”, diz ele. “Aquele motor agora tem 17 mil horas de serviço, e levando em consideração o trabalho que ele faz, não se poderia pedir mais.”

Lankford diz que o novo barco terá 13 metros de comprimento e será equipado com um Scania DC13 de 13 litros, com potência de 300 HP. “Assim como o Hope, ele terá transmissão de Disco Duplo, mas com uma relação de marchas diferente (6:1), e vai acionar uma hélice maior. Esperamos que esta configuração seja 20% mais econômica que a do Hope.”

Ele afirma, ainda, que ficou atraído pela Scania em primeiro lugar pela reputação de seus caminhões. “Eu acho que eles fazem tantos motores, que sua tecnologia deve estar bem à frente da concorrência”, diz ele. “E é verdade. E o mesmo vale para seus concessionários. O próprio Scott faz toda a nossa manutenção de rotina, mas se precisarmos dos serviços do pós-vendas, o depósito da Scania de Redruth está sempre à disposição. Eles nos atendem até mesmo fora do horário de expediente para que possamos voltar ao mar. Os outros não fazem isso.”

Fonte: Scania

RECEBA NOSSOS CONTEÚDOS NO E-MAIL





Seu e-mail (obrigatório)






Deixe sua opinião sobre o assunto!