A estrada é nosso quintal

por Blog do Caminhoneiro

Motor HomeDesde a última semana, o casal de curitibanos aposentados Volnei Batista Malgarise e Maria Rosa Marcondes estão com o pé na estrada. O casal deverá passar durante os próximos noves meses por todas as regiões que margeiam o Rio Iguaçu até a cidade de Foz do Iguaçu, Argentina, Chile, Peru e Uruguai. Essa é a primeira parte de um projeto de viagem que deve se estender pelos próximos dois anos. O que chama mais atenção nessa jornada é a forma que os dois optaram para conseguir concluir o trajeto: eles estarão a bordo de um Motor-home, que como o próprio nome já diz, é uma casa com motor.

Segundo estimativa divulgada pela Associação Brasileira de Campismo (Abracamping), existem no país cerca de 1,8 mil donos de Motor-homes. Pouco ainda, se comparado com os Estados Unidos, onde viajar em casa própria é opção de uma em cada 12 famílias proprietárias de automóveis. No Paraná são 300 proprietários. Já em Ponta Grossa, seis pessoas possuem esse tipo de veículo. Apesar do número simbólico, eles buscam manter vivo esse estilo de vida através de eventos que reúnem adeptos de vários lugares do país.

É o caso do encontro que aconteceu neste final de semana em Ponta Grossa. Cerca de 40 donos de Motor-homes estiveram concentrados no CTG União Vila Velha, que fica próximo ao Centro de Eventos de Ponta Grossa. Uma dessas pessoas é o empresário Ivo Bremm. “Fizemos o possível para realizar esse evento aqui na cidade. Queremos mostrar nossas belezas para todos que são de fora”, revela ele que também integra o Grupo dos Estradeiros do Paraná. E veio gente de todo lugar. “Tem proprietário de Motor-home de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Paraná. Nosso principal objetivo é a troca de informações com quem vive na estrada”, revela.

E parece que morar sobre quatro rodas, mesmo que por um período curto de tempo, é realmente viciante. É o caso do também empresário ponta-grossense Ricardo Salim. Desde 1983 ele e a esposa viajam a bordo de um veículo com 12 metros de comprimento. “Tem espaço para oito pessoas dormirem. É um estilo de vida aliado a filosofia de estar sempre em contato com a natureza. Filhos e neto foram criados no motor-home”, afirma.

Tudo é extremamente planejado

Os motor-homes são montados em chassis de ônibus ou caminhão, van ou ainda num chassi-cabine. Tudo é feito de acordo com o gosto do proprietário. Os projetos são personalizados desde a planta interna até os acabamentos. “São casas completas, com sala, quarto, cozinha e banheiro. E todos aqueles eletrodomésticos: fogão, geladeira, microondas, TV e até ar-condicionado”, fala Ricardo Salim.

Assim como nas casas e apartamentos atuais, tudo é desenhado para aproveitar o espaço da melhor maneira possível. “A mesa de jantar, por exemplo, quase sempre desce e, unida aos bancos, vira uma cama extra”, explica Salim. Um modelo bem econômico sai em torno de R$ 100 mil. O veículo pode ter mordomias extras. A partir daí, o céu é o limite.

Custo

Questionado sobre a manutenção do veículo e o dinheiro empregado para manter esse hobby, Volnei Batista Malgarise diz que os gastos são proporcionais a uma casa normal e as medidas preventivas podem ser feitas em qualquer posto de gasolina por onde passam. Indagado se pensa em vender o veículo, ele diz que é mais fácil se desfazer das outras três casas que possui do que abandonar o Motor-home.

Fonte: Jornal da Manhã

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Escreva um comentário