Caminhoneiros protestam contra o governo em São Paulo

protesto de caminhoneiros




Um grupo de aproximadamente 40 caminhoneiros se juntou aos cerca de 580 mil manifestantes que estão na Avenida Paulista neste momento, segundo a última contagem da Polícia Militar. Eles estão estacionados na entrada da avenida com a Rua da Consolação e vão ficar por lá, segundo o organizador do comboio, Davi Oliveira. Mais cedo, eles pararam no final da Avenida Rebouças, mas não conseguiram passar pelo bloqueio policial. “Vamos entrar de qualquer jeito”, chegou a dizer o caminhoneiro.

Antes disso, os motoristas bloquearam totalmente a Marginal do Pinheiros no sentido de Interlagos na altura da Ponte Ary Torres. Eles seguiram pela via, subiram a Ponte Estaiada e acessaram a Marginal no sentido da Rodovia Castelo Branco e subiram a Avenida Rebouças rumo à Paulista. De acordo com Oliveira, são cerca de 60 caminhões com uma única demanda. “A gente pede ‘fora, Dilma’ “, disse.

O grupo veio das rodovias Castelo Branco e Raposo Tavares. Cerca de 20 veículos entraram no quilômetro 50 da Castelo e outros 20, no quilômetro 20 da Raposo, de acordo com a Polícia Rodoviária Estadual. Depois de seguirem em comboio, provocando lentidão nas rodovias, os manifestantes entraram em São Paulo pela Marginal do Pinheiros, seguiram em velocidade reduzida e buzinando.

Protestos

No começo de março, caminhoneiros chegaram a fazer paralisações em 14 Estados do País, exigindo aumento do valor dos fretes e diminuição do preço dos combustíveis. Hoje, o grupo se junta aos milhares de manifestantes que estão nas ruas de 17 Estados e do Distrito Federal. Eles exigem a renúncia da presidente Dilma Rousseff e o combate à corrupção. Houve um protesto na Rodovia Presidente Dutra que provocou filas entre os quilômetros 266 e 270, na altura de Barra Mansa (RJ), sentido de São Paulo.

Dutra

Além do grupo que seguiu para a Av. Paulista, outra carreata de caminhoneiros complicou o trânsito no início da tarde na Rodovia Presidente Dutra (BR-116), que liga o Rio de Janeiro a São Paulo. Houve buzinaço, e alguns caminhões carregaram faixas contra o governo da presidente Dilma Rousseff. Segundo a concessionária que administra a estrada, a CCR Nova Dutra, o protesto começou às 12h56, no Km 265, na altura do município fluminense de Barra Mansa. O trânsito chegou a ser parcialmente interrompido no sentido Rio – São Paulo. Cerca de 15 minutos depois, a faixa da direita foi fechada para que os caminhões seguissem em comboio até o km 276. Às 14h37, a rodovia já estava totalmente liberada. A concessionária informa que não há registro de retenções no local e que o trânsito flui normalmente.

Fonte: Estadão




Deixe sua opinião sobre o assunto!

error: Cópia de conteúdo desabilitada !!