42% dos motoristas profissionais têm mais de 20 anos de habilitação

Transporte Rodoviario / Livro Jorge Um Brasileiro, que trata da vida dos caminhoneiros pelas estradas




Levantamento do Detran/RS feito para este Dia do Trabalho apontou que 42% dos condutores com registro de atividade remunerada no prontuário da CNH tem mais de 20 anos de habilitação. No total, são 666,5 mil condutores aptos a trabalhar com o veículo, o que representa 15% do cadastro de condutores do Estado. Destes, 282,7 mil têm mais de 20 anos de experiência ao volante. Outros 31% têm entre 10 e 20 anos de habilitação.

O estudo inclui condutores de todas as categorias. São motofretistas, taxistas, caminhoneiros, motoristas de ônibus, microônibus, tratoristas. Atualmente, o Detran/RS possui o registro de 342.795 veículos de placa vermelha (categoria aluguel, o que engloba o transporte de cargas e passageiros), entre eles 133,7 mil caminhões, 15,7 mil automóveis, 28,2 mil ônibus e 11,2 mil motocicletas.

A categoria de condutores profissionais é predominantemente masculina. Somente 4% são mulheres. Esse percentual representa apenas 29.719 mulheres dirigindo profissionalmente no Estado. Os condutores que exercem atividade remunerada com o veículo distribuem-se entre as mais variadas faixas etárias, mas 77% estão entre os 26 e 55 anos.

LEIA MAIS  A distância que não encurta nunca

Mesmo com maior exposição no trânsito (muito mais tempo dirigindo do que a média do condutor que não exerce atividade remunerada), o percentual de infrações cometidas pelos condutores profissionais não é muito maior do que a sua participação no cadastro de condutores: 19% das infrações com condutores identificados em 2014 foram cometidas por profissionais, grupo que representa 15% do total de condutores. Em primeiro lugar no ranking das infrações mais cometidas está o excesso de velocidade. Foram 123 mil autuações pelo Artigo 218 do Código de Trânsito Brasileiro em 2014.

Ainda inexiste o refinamento estatístico sobre o envolvimento de motoristas profissionais em acidentes no Rio Grande do Sul, mas o número de caminhões e ônibus envolvidos em ocorrências com vítimas fatais preocupa o Detran/RS. Estudo divulgado recentemente em evento que reuniu as entidades representativas das categorias profissionais, apontou que 24% dos acidentes que resultam em vítimas fatais tinham pelo menos um caminhão envolvido. No evento, o Detran/RS apresentou uma série de propostas para enfrentar esse problema, que afeta, principalmente, os condutores profissionais (autônomos ou empregados).

LEIA MAIS  STF sediará audiência com empresas multadas na greve dos caminhoneiros

“É preciso que toda a sociedade se envolva na solução do problema. Formação e qualificação desse profissional do volante andam de mãos dadas com a fiscalização do tempo de trabalho e das condições desses motoristas. Mas é preciso olhar também para os condutores não profissionais. Se os caminhões estão envolvidos em grande parte dos acidentes com vítimas fatais é porque eles estão muitos expostos nas rodovias. E um acidente com um veículo pesado sempre é mais violento. Mas não quer dizer, necessariamente, que eles foram provocados pelo motorista do caminhão”, analisou o diretor-geral do Detran/RS, Ildo Mário Szinvelski.

Fonte: Assessoria de Imprensa Detran




Deixe sua opinião sobre o assunto!