Caterpillar dará férias coletivas a 800 operários em Piracicaba

Caterpillar 994K (2)




A fábrica da Caterpillar em Piracicaba (SP), uma das maiores empregadoras da cidade, dará férias coletivas para cerca de 800 funcionários nos meses de junho e julho de 2015, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da região. O número de trabalhadores que ficarão parados equivale a 20% de todo quadro, que soma 4 mil contratados. A empresa informou que o volume de produção foi comprometido pela redução do mercado, que persiste desde 2014.

A Caterpillar confirmou, em nota, que as férias estão entre as medidas programadas, mas não especificou quais setores serão afetados, nem o número de trabalhadores. A ação, segundo a assessoria de imprensa da empresa, é parte de uma série de alternativas que serão implementadas ao longo dos próximos meses para superar o cenário econômico adverso.

“O volume de produção continua afetado pela fraca demanda, bem como os mercados de exportação e importação”, afirmou em nota a Caterpillar.

LEIA MAIS  New Holland apresenta o trator NHDrive T4.110F autônomo para colheita em vinhedos

“Várias ações estão definidas e serão implementadas ao longo dos próximos meses, como a internalização de algumas atividades realizadas por terceiros, férias seletivas em junho e banco de horas e férias coletivas, em julho”, acrescentou a empresa.

As férias seriam uma alternativa para evitar demissões. A empresa e o Sindicato dos Metalúrgicos têm acordo de não realizar desligamentos por motivo de ajuste de mão de obra até o final de julho, segundo a Caterpillar.

Assembleia

Uma assembleia foi realizada na tarde desta quarta-feira (27) na porta da fábrica para informar os funcionários sobre as resoluções e esclarecer possíveis dúvidas.

LEIA MAIS  Caterpillar comemora produção de 5.000 caminhões Cat 793

Demissões

A Caterpillar Brasil, multinacional que produz maquinários, demitiu 124 trabalhadores da unidade de Piracicaba (SP) somente em fevereiro, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos local. Na época, a empresa já alegava que o setor de máquinas rodoviárias teve queda de 22% em 2014, o que levou a companhia a negociar com os sindicalistas as ações para ajustar a produção à demanda.

No ano passado, a Caterpillar já havia demitido cerca de 600 trabalhadores com o mesmo argumento de ajuste à baixa no mercado. Para 2015, além da redução da demanda dos produtos, a empresa afirma prever estagnação na atividade econômica e queda também dos volumes de exportação.

Fonte: EPTV




Deixe sua opinião sobre o assunto!

error: Cópia de conteúdo desabilitada !!