VÍDEO: Policiais Militares que cobraram propina de caminhoneiros são presos no RJ

extorsao  policiais




Dois policiais militares do Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRv) foram afastados das ruas nesta segunda-feira, após denúncia de que teriam recebido propina de um caminhoneiro que, no domingo, passou pelo Arco Metropolitano. O motorista, que preferiu não se identificar, transportava uma carga de cerca de 15 toneladas de frutas, do Rio Grande do Sul para o Espírito Santo. Ao ser parado pelos agentes, ele disse que estava sem documentos porque os teria perdido, e apresentou o Boletim de Ocorrência atestando a informação.

O caminhoneiro pediu, então, para ser liberado, mas os PMs afirmaram que ele só poderia retomar a viagem caso fossem pagos R$ 200. A ação dos policiais foi gravada pelo próprio motorista, que pôde seguir adiante logo após pagar a propina.

“Eu expliquei para os policiais que havia perdido meus documentos, mostrei o boletim de ocorrência. Mas, mesmo assim, eles disseram que iriam apreender o meu caminhão. Falei que a carga era perecível, e os PMS disseram que só poderiam me ajudar mediante o pagamento da propina”, relatou.

LEIA MAIS  Marco Regulatório do Transporte Rodoviário de Cargas é aprovado na Câmara dos Deputados

O vídeo, feito pela própria vítima, mostra que dois caminhões foram abordados pelos agentes. Apenas um policial, identificado como Tavares, aparece nas imagens. O outro, identificado como A. dos Santos, também teria participado da extorsão.

“O dinheiro vai fazer falta para as minhas duas filhas. Infelizmente, essa é a realidade dos caminhoneiros no Brasil. Antes de ir embora, um PM ainda disse que eu passaria pelo mesmo problema se seguisse viagem”, lamentou.

LEIA MAIS  STF suspende ação sobre vínculo empregatício de caminhoneiro

A Polícia Militar informou que os agentes já foram presos administrativamente. O comandante do BPRv, tenente-coronel André Luiz Belloni, solicitou a abertura de um Inquérito Policial Militar. Ainda segundo a PM, a data da gravação do vídeo está sendo investigada pela Corregedoria.

Fonte: O Globo




Deixe sua opinião sobre o assunto!