Liminar impediu caminhoneiros de se juntarem aos protestos desse domingo contra o governo

greve dos caminhoneiros




Uma decisão judicial impediu a realização do bloqueio na BR-163 , nas imediações da cidade de Lucas do Rio Verde, previsto para este domingo, 16. O “protesto” previsto integra o manifesto nacional contra o governo Dilma Rousseff e o modo como o Brasil vem sendo conduzido.

A decisão, favorável a concessionária Rota do Oeste, prevê multa por hora, em caso de descumprimento de R$ 10 mil. No entanto, de acordo com Gilson Baitaca, um dos líderes dos caminhoneiros no Centro-Oeste, mais de cem pessoas se reuniram às margens da pista desde às 7h, onde instalaram faixas cobrando responsabilidades do Governo Federal.

Entre as reivindicações dos motoristas está o cumprimento do que foi prometido pelo governo na última greve e, principalmente, que senadores e deputados federais derrubem o veto da presidente quanto a isenção de PIS e Cofins sobre o preço do óleo diesel.

Os caminhoneiros alegam que governo descumpriu acordo ao vetar medidas de renegociação de dívidas e isenção de PIS/Cofins no diesel, tais medidas tratam-se das Medidas Provisórias (MPs) 661 e 670.

“O governo federal não tem cumprido nada do que prometeu. Nossa maior briga agora é quanto ao óleo diesel. Queremos e esperamos que o Congresso (Câmara e Senado) derrubem o veto da presidente Dilma Rousseff quanto a desoneração do PIS e Cofins sobre o óleo diesel. Se desonerar não vai gerar inflação”, pontuou Gilson Baitaca em recente entrevista ao Agro Olhar.

Segundo o representante dos caminhoneiros, outro pedido a ser feito durante o manifesto é à saída do ministro Miguel Rossetto da Secretaria-Geral da Presidência da República diante as promessas feitas e não cumpridas. “Estamos chamando associações, o Sindicato Rural de Lucas do Rio Verde e várias pessoas para mostrarmos a nossa insatisfação com o governo federal e também o governo de Mato Grosso. Nas nossas paralisações no primeiro semestre pedimos ao governo do Estado que reduzisse a alíquota do ICMS do óleo diesel de 17% para 12% e até o momento nada. O Mato Grosso do Sul já cumpriu com a redução e Mato Grosso até agora nada”.

Quando das duas greves realizadas entre meados de fevereiro e abril Mato Grosso encontrava-se em pleno pico da safra de soja. Hoje, o estado colhe milho e algodão. Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), até o dia 13 de agosto foram colhidos 57,79% dos 564,1 mil hectares semeados com algodão na safra 2014/2015. Já de milho 95,67% dos 3,3 milhões de hectares plantados.

Fonte: MT Agora Texto de Leia Lucas




Deixe sua opinião sobre o assunto!

error: Cópia de conteúdo desabilitada !!