‘Obstruir é crime’, diz Dilma sobre bloqueio de rodovias em protesto

dilma-rousseff-laguna




Segundo dia de protesto de caminhoneiros bloqueia estradas de oito estados.
Ministro da Justiça determinou à PRF que desbloqueie estradas interditadas.

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira (10), ao ser questionada sobre a paralisação dos caminhoneiros que atinge estradas do país desde esta segunda, que “obstruir é crime”. Na manhã desta terça, os atos foram registrados em GO, MG, MT, PR, RS, SC, SP e TO.

O grupo que participa do movimento foi convocado pelo Comando Nacional do Transporte. Os manifestantes são autônomos e se declaram independentes de sindicatos. Eles são contra o governo Dilma Rousseff, pedem o aumento do valor do frete, reclamam da alta de impostos e da elevação nos preços de combustíveis, entre várias outras questões.

“Obstruir é crime. Obstruir, afetar a economia popular é crime. Manifestar é algo absolutamente legal. É da democracia. É algo que faz bem ao pais e à democracia. […] Todos nós somos obrigados a cumprir a lei, principalmente as pessoas que exercem a faculdade de cumprir a lei””, afirmou.

“Reivindicar, nesse país, é um direito de todo mundo. Então reinvindicação, no Brasil, há muito tempo não é crime. Nós construímos a democracia para não ser crime. Agora, esse país é um país responsável. Interditar estradas, comprometer a economia popular, desabastecendo com alimentos ou combustíveis, isso tem componentes de crime”, disse Dilma.

Nesta segunda, ao comentar a greve, o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, questionou a paralisação e afirmou que o movimento tem como objetivo somente “desgastar politicamente o governo”.

O movimento não tem adesão total dos caminhoneiros. A Confederação Nacional dos Transportes Autônomos afirmou, em nota, que não concorda com a mobilização, já que a pauta não tem relação com os problemas específicos da categoria. A União Nacional dos Caminhoneiros também informou que discorda dos bloqueios.

Desobstrução

Mais cedo, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) desobstrua as rodovias bloqueadas pelos caminhoneiros para que os trabalhadores garantam “sua liberdade de ir e vir”.

“Evidentemente, no caso de interdição de estradas, nós já determinamos para a PRF que atue através do efetivo necessário para que possamos desobstruir estradas e possamos garantir que aqueles caminhoneiros que queiram trabalhar tenham sua liberdade de ir e vir assegurada”, disse o ministro da Justiça em mensagem divulgada pela assessoria de imprensa da pasta.

Na mesma declaração, Cardozo anunciou que os caminhoneiros que fecharem estradas pelo país em forma de protesto contra o governo terão de pagar multa de valor superior a R$ 1,9 mil

Fonte: G1

RECEBA NOSSOS CONTEÚDOS NO E-MAIL





Seu e-mail (obrigatório)






Deixe sua opinião sobre o assunto!