Comil encerra produção e demite funcionários na fábrica de Lorena-SP

por Blog do Caminhoneiro

Fábrica da Comil em Lorena-SP (3)A fabricante de ônibus Comil, fabricante de ônibus em Lorena (SP), encerrou a produção nesta quinta-feira (28) e demitiu os trabalhadores. Segundo a empresa, a decisão é resultado da crise econômica que atinge o país.

De acordo com a empresa, todos os direitos trabalhistas dos dispensados serão quitados. A estimativa é que o corte tenha afetado 200 trabalhadores.

Parcela  dos funcionários serão mantidos para realizar as atividades de transição e conservação do patrimônio – o número também não foi informado.

Por meio de sua página em uma rede social, a Prefeitura de Lorena informou que todos os incentivos fiscais permitidos por lei foram aplicados, assim como todas as medidas que poderiam ser adotadas pela prefeitura, para auxiliar a empresa e evitar que se chegasse ao extremo do fechamento.

Em seu comunicado, a companhia disse que manterá suas atividades na planta de Erechim (RS), que atualmente conta com capacidade de produção de 4 mil ônibus por ano. A empresa funcionava em Lorena há dois anos.

O Sindicato dos Metalurgicos de Lorena, que representa a categoria, foi procurado, mas não comentou o assunto até a publicação desta reportagem.AEREA_COMIL_NOV_2013

Confira a nota da Comil

“A COMIL ÔNIBUS S.A. anunciou hoje a paralisação das atividades de fabricação da sua Planta Industrial de Lorena, necessária devido à crise sem precedentes do mercado do ônibus no país que, associados a outros fatores políticos, sociais e econômicos, reduziram o mercado interno de ônibus em 16% em 2014 e 45% em 2015, somando mais de 50% nos últimos dois anos, agravado por forte redução nos preços praticados no mercado de carrocerias e sem perspectivas de retomada do mercado a médio prazo.

Ao longo dos últimos meses a Companhia, Funcionários e Entidade Sindical adotaram diversas ações na tentativa de superar ou minimizar o forte impacto da instabilidade econômica objetivando manter a atividade industrial. Infelizmente, estas ações, associadas aquelas adotadas na unidade matriz, não foram suficientes para compensar a brutal queda no mercado de ônibus e a consequente redução no volume de produção, tornando insustentável a continuidade das atividades industriais da planta de Lorena.

Ao longo de 2015, a Prefeitura envidou esforços para auxiliar a Comil a buscar soluções para reduzir o impacto desta forte crise que estamos enfrentando. Porém, em virtude de todo o contexto não há mais que possamos fazer e nem o poder público de Lorena.

A Companhia lamenta se somar a outras empresas que, diante deste cenário, também encerraram atividades e fecharam estabelecimentos, especialmente considerando o elevado investimento feito na região.

Embora todas as dificuldades decorrentes, a Companhia está envidando todos os esforços para minimizar os impactos decorrentes da decisão ora comunicada e garantir o cumprimento de todos os deveres trabalhistas e sociais, como sempre o fez. Será mantido alguns funcionários para realizar as atividades de transição e conservação do patrimônio.

A Comil reafirma o seu compromisso com o mercado nestes mais de 30 anos de atividade e reforça que a Planta de Erechim, que conta com capacidade de produção de 4.000 ônibus/ano, segue operando, produzindo todos os modelos de carrocerias e atendendo todas as demandas do mercado interno e externo.

A Companhia desde já expressa o infinito agradecimento pela dedicação de seus funcionários, e apoio da comunidade e administração pública local.

Fonte: G1

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Escreva um comentário