Das lavouras ao porto, safra de soja percorre 600 km em estradas do RS

estrada ruim




A soja colhida no Noroeste do Rio Grande do Sul percorre mais de 600 quilômetros até o porto de Rio Grande, no Sul do estado, de onde segue para países como a China, principal compradora do produto gaúcho. A maior parte da safra viaja de caminhão. A quarta reportagem da série Caminhos da Soja, veiculada no RBS Notícias, mostra a trajetória do grão cruzando as rodovias do estado.

Os caminhoneiros reclamam das condições das principais estradas que fazem a ligação do Noroeste com o Sul gaúcho. Na ERS-342, que liga Ijuí a Cruz Alta, a queixa é pela falta de acostamento. “É difícil, não tem acostamento. Se estoura um pneu, dá algum problema, tem que parar em cima da pista. Não tem o que fazer”, relata o motorista Edson Machado.

A vegetação quase invade a rodovia e também esconde as placas de sinalização. O asfalto apresenta ondulações e para desviar dos desníveis da pista, alguns motoristas andam na contramão. “É um desnível, um solavanco. Está complicado isso aí. Vai mola, vai indo, vai estragando”, reclama Machado.

LEIA MAIS  O risco de se rodar com carreta tanque parcialmente cheia

A BR-158, de Cruz Alta até Santa Maria, apresenta boas condições. Porém, guiar os caminhões carregados com toneladas de soja volta a ser um desafio ao entrar na BR-392, na Região Central. O movimento de veículos pesados é três vezes maior na época do escoamento da safra.

LEIA MAIS  PRF flagra mais de 100 tons de excesso de peso em dois dias de fiscalização no oeste de SC

A balança instalada na rodovia está desativa e sem previsão para voltara funcionar, de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

“A gente não tem balança aqui na região, nas rodovias estaduais para gente poder fazer a aferição. Então, isso tudo contribui para que o asfalto se deteriore”, relata o sargento Edgar Spode, do Comando Rodoviário da Brigada Militar.
As más condições das rodovias pesam no preço do transporte. Em 2015, a situação das estradas gaúchas foi responsável por um aumento de 30% nos gastos dos caminhoneiros, de acordo com a Confederação Nacional do Transporte.

Fonte: RBS TV




Deixe sua opinião sobre o assunto!