Mercado de máquinas continua a encolher

por Blog do Caminhoneiro

economia-fendt-trator-agcoAs vendas de máquinas agrícolas continuam a agonizar no país. Segundo dados divulgados ontem pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), caíram 43% no mês passado em relação a março de 2015, para 2.752 unidades, e acumularam queda de 44% no primeiro trimestre, para 6.658 unidades.

O tombo trimestral foi recebido com especial preocupação pelas montadoras, porque a base de comparação já era bastante baixa. De janeiro a março do ano passado, as vendas haviam recuado 20,3% em relação a igual intervalo de 2014, principalmente em decorrência da queda das cotações das commodities agrícolas e da escassez de crédito.

Como o aumento observado na comparação entre março e fevereiro (17,3%) foi creditado ao maior número de dias úteis, a expectativa da Anfavea é que algum sinal concreto de retomada apareça na Agrishow. Neste ano, a maior feira de tecnologia agrícola da América Latina, realizada em Ribeirão Preto (SP), será entre 25 e 29 de abril.

Em encontro ontem com jornalistas na capital de São Paulo, Luiz Moan Yabiku Junior, presidente da Anfavea, afirmou que a fraqueza desse segmento ¬ e do mercado doméstico de veículos como um todo ¬ mostra que o agravamento da crise política está “prejudicando muito” a economia brasileira.

“Apesar dos bons resultados do setor, que colhe mais uma safra recorde de grãos, os investimentos continuam extremamente retraídos”, disse Ana Helena de Andrade, vice¬presidente da entidade.

Levando em conta que essa redução de investimentos já deu o tom durante todo o ano passado, Ana Helena disse que mesmo o aumento da produtividade da agricultura brasileira poderá ser afetado. “Esperamos que a Agrishow marque uma reversão”.

As exportações também não têm servido de alento, apesar de quase terem dobrado na comparação entre março e fevereiro deste ano. O fato é que as 979 unidades exportadas no mês passado representaram apenas estabilidade em relação a março de 2015 e não evitaram uma retração acumulada de 23,2% no primeiro trimestre, para 1.811 unidades.

Nesse contexto, a produção nacional de máquinas agrícolas permaneceu acanhada ¬ 2.801 unidades em março, 52,6% menos que no mesmo mês do ano passado, e 7.349 unidades no primeiro trimestre, baixa de 52,2% ¬ e o número de postos de trabalho no segmento voltou a recuar. Fechou março em 15.242, 14,5% menos que no mesmo mês de 2015 e número quase 30% inferior ao de março de 2014.

Fonte: Valor Econômico

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

Escreva um comentário