Uso de película nos vidros

por Blog do Caminhoneiro

ford-cargo-2012Uma questão que deixa muitas dúvidas nos motoristas é o uso das películas usadas para escurecer os vidros do veículo. Conhecidas popularmente como “insulfilme” ou “fumê”, as películas trazem benefícios, mas também há limites que a lei impõe e que os motoristas precisam conhecer.

A Resolução 254/07 do CONTRAN determina as regras e a transparência mínima que o conjunto do vidro com a película aplicada deve possuir. Os índices de transparência são de: 75% no para-brisas (70% se o vidro for verde), 70% para os vidros laterais dianteiros e 28% para os demais vidros. E é neste ponto que os motoristas acabam descumprindo a lei.

Isso acontece porque é comum que nas lojas de acessórios os vendedores, quando querem dizer o nível de escurecimento de uma película, se refiram a ela por nomes como “G5” ou “G25”. Estes nomes seriam referência à taxa de escurecimento da película, mas, na verdade, só é possível saber a real transparência do vidro após aplicação da película com uso de um aparelho chamado luxímetro. Por isso, a maioria das películas acaba sendo instalada de maneira irregular, já que não há como o motorista conferir a transparência no local de instalação. Já o uso de película refletiva é proibido, independentemente do nível de transparência.

Vale lembrar que, como os vidros dianteiros já possuem de fábrica uma transparência próxima da mínima permitida, não é possível colocar neles qualquer película escurecedora, já que assim a transparência mínima deixa de ser atingida. Também são proibidos adesivos com frases escritas nos para-brisas e demais vidros dianteiros, assim como painéis luminosos com mensagens, semelhantes aos usados por ônibus para informar o itinerário. O descumprimento é infração grave, com multa de R$ 191,54.

Fonte: O Carreteiro

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

3 comentários

RINALDO 04/10/2016 - 15:25

ANDRE LUIS MACHADO,MEUS PARABENS PELAS SUS PALAVRAS,TUDO QUE VC FALOU É A PURA REALIDADE,QUEM SABE O QUE NÓS CAMINHONEIROS PASSAMOS,SOMOS NÓS,ESSES PALHAÇOS QUE CRIAM ESSAS LEIS ABSURDAS,NÃO TEM NOÇÃO DO QUE É UM CAMINHÃO NO CALOR,SEM FALAR QUE COM O VEICULO MAIS ESCURO DIFICULTA QUE OS BANDIDOS VEJAM QUENTAS PESSOAS TEM NO INTERIOR DO CAMINHÃO NA HORA DE UMA ABORDAGEM.

Reply
Rubens Tavares 16/09/2016 - 21:31

Após comentário de Andre Luis, não precisa mais fazer comentários. Ele disse tudo. Pena que os caras que ele citou não lêem essa coluna e se lêem ainda riam de nós.
Parabéns André

Reply
ANDRE LUIS MACHADO 16/09/2016 - 15:28

Bandidos podem andar da forma que querem, até mesmo de terno dentro de luxuosos carros governamentais, porem a industria de multas precisa ir a quem trabalha dar um jeito de aumentar ainda mais sua arrecadação, trabalhem neste sol do Brasil o dia todo, pelo menos 6 dias por semana e aí vão entender porque os caminhões precisam destas películas, ah! já sei, os montes de merdas que fazem estas leis trabalham em luxuosos escritórios com ar condicionado, confortadissimas cadeiras, não sabem nem de longe o que é ficar no sol e calor.

Reply

Escreva um comentário